DOI-CODI, as memórias do QG da tortura da ditadura precisam seguir vivas

 

MARCELO OLIVEIRA|São Paulo | 28-09-2021

Parentes e amigos de vítimas da ditadura participam do sexto Ato Unificado Ditadura Nunca Mais, em 2019, no pátio da 36ª DP, onde funcionou o DOI-CODI, em São Paulo / MAURICIO PISANI

28 de setembro de 2021 | Categoria: A memória da ditadura militar não pode morrer, Ditadura Militar; Brasil; Dilma Rousseff; Tortura; São Paulo; Jair Bolsonaro; Carlos Alberto Brilhante Ustra; História; Comissão Nacional Verdade | Um comentário