Cúpula do Exército avisará que não compactua com Bolsonaro

Diego Escosteguy – 24/05/2021 – diego@obastidor.com.br

O comandante do Exército, general Paulo Sérgio Foto: Pedro Ladeira/Folhapress
Um general da ativa diz reservadamente que “acabou a baderna” e que “não podem jogar no lixo a imagem (do Exército)”.

Generais da cúpula do Exército avisarão discretamente ao presidente do Supremo, Luiz Fux, e ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que não compactuam com o comportamento negacionista e autoritário do presidente Jair Bolsonaro. O Bastidor revelou mais cedo que eles cogitaram ontem prender Eduardo Pazuello.
  • Os militares informarão aos paisanos graúdos de Brasília que não aceitarão tentativas de “usurpação”,
  • na palavra de um deles, das prerrogativas constitucionais do Exército.

Tentarão

  • acalmar sobremaneira os ministros do Supremo e as lideranças do Senado
  • – todos estupefatos com a presença do ainda general da ativa Eduardo Pazuello na aglomeração promovida ontem (domingo) por Bolsonaro no Rio.

Entre os generais, prevalece a avaliação de que

  • o Exército precisa distanciar-se de modo firme do presidente Jair Bolsonaro.
  • Também precisa estabelecer pontes com as principais lideranças civis – não contam com o ministro da Defesa, Braga Netto, para isso.

O comandante do Exército, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, lidera a iniciativa diplomática, a fim de evitar mais tensão institucional.

Um general da ativa diz reservadamente que “acabou a baderna” e que “não podem jogar no lixo a imagem (do Exército)”.

Refere-se a aparente tolerância do Exército com a turma de militares da reserva que governam com Bolsonaro.

Diego Escosteguy 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>