Carta aberta Brasil: padres alertam contra a reeleição do atual presidente da República

A carta é publicada por Jornal ExtraClasse, 06-09-2022. Imagem: Reprodução

“Recordamos que Jesus veio para que tenhamos vida e vida em  abundância (Jo 10,10). Um discípulo de Jesus consciente não pode reeleger um homem que com palavras e obras demonstra ser o oposto de tudo aquilo que Jesus é e anuncia. Deus nos ilumine para sermos fiéis ao Senhor da vida!”,

clamam os Padres da Caminhada e Padres contra o fascismo em carta aberta.

 

Eis a carta.

 

Carta Aberta

 

Brasil, ao 07 de setembro de 2022

 

Padres alertam contra a reeleição do atual presidente da República

 

Encontramo-nos, novamente, no período eleitoral. Em 2018 a população, enganada por fake news, desmotivada por crises econômicasescândalos de corrupção e insuflada por discursos de ódio acabou por eleger para a presidência da República Jair Messias Bolsonaro.

Uma catástrofe anunciada! Hoje, distante quatro anos daquele momento, nós Padres, conscientes do nosso dever de pastores do povo de Deus, queremos alertar para o perigo de repetirmos o mesmo erro, que pode pôr o Brasil em uma crise humana muito profunda. Por isso, elencamos dez elementos pelos quais, claramente, opomos nossas consciências à reeleição do atual Presidente da República.

450 padres se manifestam contra reeleição de Bolsonaro

Foto: Reprodução

 

1 – Uso do nome de Deus:

o atual presidente sempre manipulou o sentimento religioso da população brasileira,

  • tentando convencê-la de que é um homem cristão, religioso e, por isso, digno e bom.
  • Trata-se apenas de uma estratégia de controle das consciências,
  • visto que todo o seu discurso e suas ações são uma total oposição ao Evangelho de Jesus;

 

2 – Discurso de ódio:

o atual presidente insufla ódio na população por aqueles que considera inimigos seus ou do país (ainda que inimigos imaginários como os “comunistas”),

  • tendo sempre um  discurso ligado à violência, ao apelo às armas,
  • a imposição da maioria e submissão das minorias,
  • e um tom de agressividade e de desprezo pelos pobres, pelas mulheres, comunidades tradicionais  indígenas e quilombolas, população de rua, comunidade LGBTQIA+, migrantes, etc;

 

3 – Fake news:

toda a eleição de 2018 foi movida por notícias falsas e alarmistas, colocando em pânico a população mais simples e vulnerável. Notícias falsas circularam por grupos de WhatsApp e  p

  • elas demais redes sociais, desinformando e manipulando a população.
  • Durante todo o seu governo as notícias falsas e caluniosas permaneceram
  • e o Presidente mente de forma compulsiva na TV e  em seus diversos pronunciamentos;

 

4 – Má gestão da pandemia de COVID-19:

o governo atual, capitaneado pelo Presidente Bolsonaro, geriu de forma desastrosa e desumana a pandemia de COVID-19. O Presidente

  • fez propaganda de medicamentos comprovadamente ineficazes,
  • atrasou propositalmente a compra de vacinas,
  • criou dificuldades para o estabelecimento de políticas de distanciamento social,
  • demitiu ministros da  saúde que contradiziam suas ideias infantis
  • e, incrivelmente, ainda imitou pessoas morrendo sufocadas;

 

5 – Volta da pobreza:

o país foi imerso na pobreza e 33 milhões de pessoas passam fome no Brasil de hoje.

  • Nós, que havíamos saído do mapa da fome em 2014, tornamos a ver a instabilidade  alimentar em nosso meio.
  • inflação impede pessoas de comprarem alimentos básicos para a subsistência.
  • Nosso povo passa fome enquanto super ricos cercam o atual Presidente por medo de  perderem privilégios.
  • Com tudo isso, o presidente ainda nega que existam pessoas com fome no Brasil;

 

6 – Aumento do desmatamento:

  • desmatamento ilegal, as políticas que favorecem o agronegócio irresponsável, favorecimento do garimpo ilegal, silêncio e despreocupação com as ameaças sofridas  por ambientalistas e defensores da Amazônia,
  • uso de agrotóxicos proibidos em outras partes do mundo,
  • o pisoteamento das comunidades indígenas,
  • o desaparelhamento dos órgãos de  controle ambiental e indigenista e a sistemática destruição da Amazônia

são escândalos em nível mundial. O atual governo coloca em risco toda a confiabilidade do país e o equilíbrio ambiental  através de suas políticas ecocidas;

 

7 – Sinais claros de corrupção:

eleito com discurso anticorrupção, o atual Presidente vive soterrado e soterrando os escândalos de corrupção que o envolvem e envolvem sua família.

  • Escândalos de corrupção na compra de vacinasescândalos no MEC,
  • interferência na Polícia Federal,
  • desmonte das políticas de transparência fundamentais no combate à corrupção,
  • compra do parlamento  através do “orçamento secreto”,
  •  movimentações financeiras milionárias não esclarecidas (compra de 51 imóveis com dinheiro vivo),
  • sigilo de 100 anos sobre ações pessoais sendo que somos uma República;

 

8 – Ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF):

o Presidente da República tem sistematicamente atacado o STF, que diz intervir indevidamente no governo.

  • Frases ameaçadoras contra ministros do STF são públicas e estão nas redes socias.
  • A ameaça a um poder da República é um ataque à Constituição Federal e um perigo ao Estado Democrático de Direito.
  • Além disso sustenta um discurso antidemocrático militarista;

 

9 – Questionamento sobre o processo eleitoral:

mesmo tendo sido eleito pelo atual sistema de urnas eletrônicas,

o Presidente da República

  • questiona sistematicamente o sistema eleitoral brasileiro, afirmando que houve e que podem acontecer fraudes.
  • Chegou mesmo a afirmar que existiam provas dessas fraudes, provas essas, que nunca pode demonstrar.
  • TSE já demonstrou que  tudo não passa de retórica de mentira.

Porém, com esse discurso cria desconfiança e instabilidade no sistema eleitoral do Brasil;

 

10 – Claros sinais de autoritarismo e fascismo:

por fim, o lema do presidente Bolsonaro sempre foi: “Deus acima de tudo, Brasil acima de todos”que se assemelha a propaganda nazista “Alemanha  acima de tudo”, lema que deturpa patriotismo em perigoso nacionalismo.

  • Em um Estado laico a única realidade que está acima de tudo é a Constituição, que existe para garantir a liberdade e o bem  estar de todos os cidadãos, não importando suas etnias, religiões ou classes sociais.
  • O Estado laico não é Estado ateu.
  • Estado laico é a única garantia de que todos os cidadãos poderão viver e  celebrar suas diversas crenças de forma livre;

 

Feitas essas considerações, como padres preocupados com o bem da nossa população, recordamos que Jesus veio para que tenhamos vida e vida em  abundância (Jo 10,10).

  • Um discípulo de Jesus consciente não pode reeleger um homem que com palavras e obras demonstra ser o oposto de tudo aquilo que Jesus é e anuncia.
  • Deus nos ilumine para sermos fiéis ao Senhor da vida!

Comprometem-se com essa carta mais de 450 padres católicos de diversas Dioceses, Ordens, Congregações e Institutos de Vida Consagrada de todo o Brasil e fora dele, denominados Padres da Caminhada e Padres contra o fascismo, e que refletem e se unem desde 2018 em vista da democracia ameaçada no Brasil.

 

Padres da Caminhada e Padres contra o Fascismo

Fonte: https://www.ihu.unisinos.br/categorias/621939-carta-aberta-brasil-ao-7-de-setembro-de-2022-padres-alertam-contra-a-reeleicao-do-atual-presidente-da-republica#

 


1 comment to Carta aberta Brasil: padres alertam contra a reeleição do atual presidente da República

  • António Tavares

    Subscrevo integralmente esta tomada de posição de padres da igreja católica.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>