O que herdamos da filosofia grega. Entrevista com Enrico Berti

Platão: resumo, biografia, obras, frases - PrePara ENEM

Enrico Berti – Settimana News – 10 Janeiro 2022

Foto:  Escola de Atenas: Platão e Aristóteles. Afresco de Rafael Sanzio no Museu Vaticano /  DAQUI

Enrico Berti, professor de História da Filosofia na Universidade de Pádua há mais de 40 anos e um dos maiores estudiosos de Aristóteles na Itália, faleceu no dia 5 de janeiro, aos 86 anos. Um conferencista apreciado e homem de fé não ostentada, mas profunda.Entre as suas inúmeras publicações: “In principio era la meraviglia” (Ed. Laterza), “Sumphilosophein. La vita nell’Accademia di Platone”(Ed. Laterza), “Storia della Metafisica”(Ed. Il Mulino) e “Aristotelismo”(Ed. Il Mulino).

O sítio Settimana News, 07-01-2022, recordou-o com esta entrevista retomada do blog Officina Filosofica, 04-05-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis a entrevista.

 

Na filosofia grega, encontramos muitos aspectos pelos quais não só a teologia é devedora, mas também a cultura cristã como um todo. Penso no finalismo que encontramos em filósofos, embora muito distantes entre si, como Platão e Aristóteles. Há também outros aspectos que podemos considerar além deste?

Conheça: Aristóteles. O filósofo Aristóteles dispensa… | by Dissensão e Tréplica | Medium

Mais do que pelo finalismo (que em Aristóteles diz respeito apenas à finalidade interna), a teologia cristã é devedora a Aristóteles do conceito de um Princípio transcendente e pessoal, que em Aristóteles

  • é o primeiro entre os motores imóveis dos céus
  • e, portanto, o primeiro dos entes e o motor de tudo,
  • enquanto para os cristãos (como também para os muçulmanos) é Deus.

No entanto, é preciso ter em mente o significado diferente que a palavra “deus” tinha para os antigos e para os fiéis nas religiões monoteístas.

  • Para os antigos (gregos e romanos) “deus” é um nome comum, o nome de uma espécie de seres vivos,
  • como “homem”, por isso se escreve com o artigo e a inicial minúscula (o deus).

Para os monoteístas (judeus, cristãos, muçulmanos), por sua vez,

  • Deus” é o nome de uma única pessoa, por isso se escreve sem artigo e com a inicial maiúscula.
  • Essas são regras gramaticais, não escolhas ideológicas.

 

Na Divina Comédia, por exemplo, como no Motor imóvel descrito por Aristóteles, os corpos celestes se movem com velocidades diferentes de acordo com a distância de Deus: o famoso “amor que move o sol e as outras estrelas” (Paraíso, XXXIII, 145).

Por isso, eu lhe pergunto por que um filósofo como Aristóteles foi tão dominante até praticamente o advento da era moderna?

Dante, que não só foi o maior poeta, mas também um filósofo original, assumiu, como todos os medievais, a cosmologia grega, ou seja, o geocentrismo, que não era apenas de Aristóteles, mas estava amplamente presente já no “Timeu” de Platão e havia dominado toda a cultura antiga e medieval.

De AristótelesDante retomou, como muitos outros, a teoria dos céus como esferas concêntricas (introduzida por Eudoxo de Cnido), que – com as modificações feitas por Ptolomeu – explicava quase completamente os fenômenos celestes.

Por fim, de Aristóteles ele retomou a teoria do motor imóvel de todo o universo, que ele interpretou como “Deus” e, portanto, como “amor”.

 

Nisso, entretanto,

  • Dante foi influenciado pela interpretação teologizante de Aristóteles,
  • que via no primeiro motor imóvel o objeto do amor de todas as criaturas.

Além disso,

  • Aristóteles havia fornecido a base física, ou seja, científica, das teorias cosmológicas antigas e medievais,
  • portanto permaneceu como o ponto de referência principal de filósofos e cientistas, até ao advento da ciência moderna.

Ele também foi o autor de um corpo de doutrinas totalmente excepcional, que ia

  • da lógica à física,
  • da biologia à psicologia,
  • da metafísica à ética,
  • da política à poética e à retórica.

Nenhum outro autor antigo era comparável a ele.

 

Para nós contemporâneos qual é o aspecto mais atual do pensamento de Aristóteles?

Os aspectos atuais do pensamento de Aristóteles são inúmeros.

  • Na lógica, a teoria das categorias, das oposições, do silogismo, das falácias.
  • Na física, a teoria dos quatro gêneros de causas, a ciência do mundo vivo e, sobretudo, a concepção da alma como forma, isto é, como princípio interno de vida.
  • Na metafísica, a teoria da substância e a doutrina da potência e do ato.
  • Na ética, a concepção da felicidade como plena realização das capacidades humanas.
  • Na política, a concepção da polis como sociedade indispensável para uma vida autenticamente humana e do ser humano como animal por natureza política.

Todos esses aspectos, negligenciados e muitas vezes até desprezados ao longo dos séculos, foram hoje redescobertos e valorizados, razão pela qual Aristóteles se tornou um dos principais interlocutores do debate filosófico contemporâneo.

 

Lendo o último livro da “Metafísica”, mas também o Livro VIII da “Física”, podemos dizer que o “Deus” de Aristóteles tem muito pouco a ver com o cristão?

O que os cristãos consideram como o “Deus” de Aristóteles, isto é, o primeiro motor imóvel – que para Aristóteles

  • é “um deus” porque é um vivente imortal e feliz –,
  • não é criador, não é providente,
  • sobretudo não é salvador.

No entanto, assim como o Deus dos cristãos, ele é transcendente e pessoal.

  • A sua transcendência é expressada pela sua imutabilidade, que o distingue de qualquer outra realidade que experimentamos.
  • A sua personalidade, por sua vez, se deve ao fato de que ele pensa e, portanto, vive, e é feliz por pensar e, portanto, tem uma vontade.

No entanto, considero equivocado comparar

  • uma doutrina filosófica, conquistada por um ser humano por meio de capacidades exclusivamente humanas (experiência e raciocínio),
  • com um conceito que é fruto de uma revelação divina.

 

Então, poderíamos até falar em Aristóteles de uma pluralidade de divindades?

Aristóteles, como todos os antigos, era politeísta, ou seja, admitia a pluralidade de deuses, e “praticava” a sua religião, ou seja, rezava aos deuses e fazia votos, como fica claro em seu testamento.

No entanto,

  • ele criticou os aspectos antropomórficos do politeísmo,
  • interpretando os deuses como inteligências motoras dos céus,
  • e reconheceu entre eles um “primeiro”,

abrindo assim o caminho, retomado depois pelos estoicos, para o monoteísmo.

Por isso, São Paulo, no Discurso aos Atenienses (Atos), se referiu ao “Deus dos filósofos” gregos como alternativa aos ídolos da religião popular e como base para a compreensão da revelação cristã (assim J. Ratzinger defende na “Introdução ao cristianismo”).

 

Talvez possamos encontrar a grandeza da Academia platônica na syn-philosophein, a beleza e o prazer de fazer filosofia juntos, apesar da diversidade de pontos de vista. Podemos dizer que esse aspecto constitui ainda hoje o valor adicional da filosofia, sobretudo em nível pedagógico nas escolas?

Eu concordo inteiramente. Para Aristóteles, fazer filosofia junto com os amigos é o máximo da felicidade. E a única forma de ensinar a filosofia nas escolas é fazer filosofia juntos, isto é,

  • formular perguntas,
  • propor respostas
  • e, sobretudo, tentar argumentar e criticar as respostas,
  • estando sempre disponível para questioná-las sempre.

 

Portanto, hoje, a sociedade precisa mais do que nunca de filosofia…

Não apenas hoje, mas sempre.

A filosofia é conatural ao ser humano, sempre existiu e sempre existirá, apesar das tentativas interessadas de decretar o seu fim.

Esse não era apenas o pensamento de Aristóteles, segundo o qual

“todos os seres humanos por natureza (isto é, homens e mulheres, livres e escravos, gregos e bárbaros) desejam saber”,

e a filosofia – quando retamente entendida – é a forma mais elevada de saber.

Platão na “Apologia” já fazia Sócrates dizer que “uma vida sem busca não é digna de ser vivida pelo homem”.

Enrico Berti

Fontes: https://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/615777-o-que-herdamos-da-filosofia-grega-entrevista-com-enrico-berti

http://www.settimananews.it/reportage-interviste/berti-cosa-ereditiamo-dalla-filosofia-greca/

Leia mais:

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>