Charles Chaput, arcebispo emérito da Filadélfia, chama o Papa Francisco de mentiroso

Pope Francis greets Archbishop Charles Chaput of Philadelphia during a meeting with U.S. bishops from New Jersey and Pennsylvania in the Apostolic Palace at the Vatican Nov. 28, 2019. (CNS/Vatican Media)

Michael Sean Winters – 26 Outubro 2021
Foto: Papa Francisco cumprimenta o arcebispo Charles Chaput de Filadélfia durante o Encontro com os bispos de New Jersey  e da Pensilvânia no Vaticano, em 28.11.2019. (CNS/Vatican Media)

A última quinta-feira foi um grande dia para dom Charles Chaput, arcebispo emérito da Filadélfia. Ele chamou o  Papa Francisco de mentiroso nas páginas da revista ultraconservadora First Things.

O artigo é Michael Sean Winters, jornalista estadunidense, publicado por National Catholic Reporter, 25-10-2021. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

 

Chaput estava respondendo (disponível neste link, em inglês) ostensivamente a um artigo de Austen Ivereigh, publicado na revista America (disponível neste link, em inglês), dos jesuítas estadunidenses, no qual discutia os comentários do Papa Francisco sobre a EWTN, uma rede de comunicação católica conservadora dos EUA.

Chaput reconhecia a ligação.

“Para ser justo, o artigo de Ivereigh simplesmente elabora os comentários que o Papa Francisco fez recentemente aos jesuítas na Eslováquia”, escreveu.

Papa Francisco não nomeia nenhuma organização midiática, mas como jornalistas rapidamente confirmaram, ele se referia à EWTN”.

Quando ele vai explicar que

  • EWTN não é nem de perto tão temível quanto o Facebook,
  • e que o âncora Raymond Arroyo, a estrela da emissora, é menos ameaçador que Xi Jinping,
  • e que, como antigo membro da diretoria da EWTN, ele estava consciente das suas forças e fraquezas,

diz que está rebatendo Ivereigh.

Mas então ele entra no conteúdo central do seu artigo:

“E qualquer suspeita que a EWTN seja infiel à Igreja, ao Concílio Vaticano II ou à Santa Sé é simplesmente vingativo ou falso”.

Ser infiel à Igreja é exatamente o que o Papa Francisco disse que a EWTN era.

“Há, por exemplo, um grande canal de televisão que não tem hesitação em continuamente falar mal do Papa”,

falou Francisco aos jesuítas na Eslováquia.

“Eu pessoalmente mereço ataques e insultos porque sou um pecador, mas a Igreja não merece. Eles estão fazendo o trabalho do diabo. Eu também tenho dito isso a alguns deles”.

O arcebispo Chaput agora constata que tal reivindicação é “simplesmente vingativa e falsa”.

Como Chaput 

  • enquadra o esforço consistente da EWTN para demonizar os imigrantes à moda trumpiana – por exemplo, neste episódio de The World Over (em inglês) – 
  • com sua afirmação de que eles são fiéis à Santa Sé,
  • sendo que esta fez do cuidado dos migrantes uma prioridade óbvia para muitos anos?

A Igreja

  • há muito clama por assistência médica universal, e como não poderia?
  • Nosso fundador, Jesus, ministrou às pessoas de seu tempo, curando os enfermos aonde quer que fosse.

Mas a EWTN 

  • ficou muito feliz em espalhar mentiras sobre a Lei de Cuidados Acessíveis.
  • Isso é ser fiel à Igreja?

A exortação apostólica do Papa FranciscoAmoris Laetitia, e os dois sínodos que a conduziram, foram uma fonte de críticas constantes na EWTN.

Na verdade,

A lista continua.

Seu esforço contínuo para reivindicar o manto da ortodoxia para si mesmos enquanto lançam calúnias sobre a ortodoxia do Papa é, pelo menos, quase cismático.

  • Da mudança climática à tradicional missa latina à nomeação de cardeais estadunidense para a sinodalidade,
  • os programas de notícias gêmeos da EWTNNews Nightly e o semanário The World Over, de Arroyo, destacam os críticos do Papa e nunca seus defensores.

Mesmo prelados conservadores como o cardeal Sean O’Malley não são mais convidados por Arroyo porque – imagine só! – O’Malley leva a sério seu voto de obediência ao Papa.

Chaput certa vez fez o mesmo voto, o voto de obediência que todos os bispos fazem. Em sua ordenação episcopal, Chaput, como todos os bispos, fez várias promessas, mas uma delas é a fidelidade ao Papa.

  • “Você está decidido a construir o corpo de Cristo, Sua Igreja, e permanecer em unidade com esse corpo, junto com a ordem dos bispos, sob a autoridade do Sucessor de São Pedro, o Apóstolo?”,
  • ele deve ter sido questionado, ao que ele deve ter respondido: “Eu aceito”.

Então, a ele deve ter sido perguntado:

  • “Você está decidido a prestar obediência fiel ao Sucessor do Abençoado Apóstolo Pedro?”.
  • Novamente, ele deve ter respondido: “Sim, estou”.

Se Francisco não é Pedro, não existe Pedro.

 

Chaput passa a criticar Massimo Faggioli por seu livro “Joe Biden and Catholicism in the United States”.

  • Ele diz que a obra “qualifica [Faggioli] para o status de cortesão”,
  • mas a única corte que ele mencionou até agora é o que cerca o Papa, não o presidente.

O livro de Faggioli mostra que ele gosta de nosso presidente e o considera o homem certo para o cargo neste momento da história, em grande parte por causa de sua sensibilidade e fé católica, mas ele dificilmenteo o estava  bajulando

(Nota do IHUFaggioli proferiu a palestra “Francisco, Biden e os radicais de direita”, no IHU. Na ocasião, o palestrante afirmou que as políticas migratórias de Biden são uma decepção para os católicos. O vídeo completo da conferência pode ser visto neste link, e a transcrição neste).

Se você deseja ver um bajulador católico em vez de um líder político, lembre-se das entrevistas de Arroyo com o presidente Trump. Isso era bajulação da mais alta ordem.

A crítica a Faggioli realmente não se encaixa no restante do artigo. Parece que Chaput só queria tirar isso do peito.

  • Ele critica de forma semelhante um artigo na Civiltà Cattolica do jesuíta Antonio Spadaro e do pastor protestante Marcelo Figueroa (traduzido para o português pelo IHU),
  • que ele afirma ter se caracterizado por “melodrama e má vontade”.
  • Eu pensei que estava certo. Cada um com o seu, mas por que Chaput está agregando esse artigo em sua defesa da EWTN?

É realmente triste, mas importa o que um arcebispo emérito pensa?

Afinal, as estrelas em ascensão na hierarquia não são homens de sua aparente guerra cultural.

  • O arcebispo Mitchell Rozanski em St. Louis e o arcebispo Paul Etienne em Seattle – esses homens são pastores, mais nos moldes do Papa Francisco.
  • Bispos mais como Chaput vão para Crookston, Minnesota (diocese com aproximadamente 35 mil católicos), e não Chicago (arquidiocese com aproximadamente 2,2 milhões de católicos – os dados foram acrescentados pela tradução, com base no site Catholic Hierarchy).

No entanto, um dos ex-auxiliares de Chaputo arcebispo José Gomez, é o presidente da conferência nacional dos bispos e faz parte do conselho da EWTN.

Há uma maioria de bispos que ainda estaria do lado de Chaput sobre o papa em qualquer uma de várias questões.

Agora que Chaput chamou o papa de mentiroso, é hora de homens como Gomez decidirem: eles estão com seu patrono ou com seu papa?

E para que o resto de nós saiba onde eles estão. O povo de Deus precisa saber se nossos bispos estão nos levando ao cisma ou não.

 

Michael Sean Winters - The Daily Beast

.

Michael Sean Winters

Fonte: http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/613958-charles-chaput-arcebispo-emerito-da-filadelfia-chama-o-papa-francisco-de-mentiroso

 

 

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>