Abusos na Igreja da Alemanha: entre verificação e exemplaridade

 

Marcello Neri – 14 Agosto 2021

Foto: Menina estuprada / Foto: DAQUI

 O resultado da visita apostólica realizada em junho pelo cardeal Arborelius, bispo de Estocolmo, e por Dom van den Hende, bispo de Rotterdam, à Diocese de Colônia, foi enviado à Santa Sé.

O comentário é do teólogo e padre italiano Marcello Neri, professor da Universidade de Flensburg, na Alemanha, em artigo publicado em Settimana News, 13-08-2021. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

 

 

Agora, espera-se uma decisão do papa, especialmente no que diz respeito ao pessoal eclesiástico diretamente envolvido no relatório jurídico sobre a gestão dos casos de abuso na maior diocese alemã (em particular, Dom Heße, bispo de Hamburgo, que apresentou sua renúncia ao papa, cuja aceitação foi temporariamente suspensa por Francisco, e o bispo auxiliar de ColôniaDom Schwaderlapp – ambos suspensos do exercício do ministério).

Em breve, espera-se a publicação da pesquisa encomendada pela Diocese de Munique,

  • no contexto da renúncia apresentada pelo bispo local, o cardeal Marx, rejeitada pelo Papa Francisco.
  • Além da equipe atualmente no cargo, em Munique ou em outros lugares na Igreja alemã,
  • o relatório sobre a Diocese de Munique também abrange o breve período de ministério episcopal exercido por Ratzinger lá.

A esse respeito, já surgiu pelo menos um caso que dá a entender algumas falhas nos deveres de ofício por parte do papa emérito. Mas, para se ter um quadro mais detalhado, preciso e objetivo, será preciso aguardar a publicação completa da investigação que já chegou ao seu término.

 

Credit: ullstein bild via Getty Images/ullstein bild

Em uma recente entrevista com o padre jesuíta K. Mertes, (Foto: DAQUI) , que há 11 anos foi quem levantou, a partir de dentro, o véu da omissão sobre os casos de abusos na Alemanha, com uma carta enviada aos ex-estudantes de Canisius-Kolleg, de Berlim,

  • afirmou que é importante separar a questão da gestão
  • e elaboração dos casos de abuso sexual na Igreja da gestão que diz respeito à política eclesiástica:

“Há muitas vítimas para as quais é totalmente indiferente se a Igreja deve tirar ou não a obrigação do celibato para o exercício do ministério ordenado. Questões como essas não são aquilo que importa para elas.

Trata-se, em vez disso,

  • de lançar luz sobre os fatos,
  • da indenização,
  • de um apoio efetivo
  • e talvez – mais uma vez – da prevenção, porque é importante que coisas desse tipo não se repitam.”

Outro aspecto importante, sublinhado por Mertes,

  • diz respeito à relação e à comunicação com as vítimas
  • aqui são necessárias mudanças estruturais e culturais na Igreja
  • para torná-la uma comunidade mais sensível, capaz de escuta.

Isso sobretudo levando em conta que,

  • devido ao quadro constitucional e jurídico alemão,
  • Igreja Católica é chamada a ser um dos atores protagonistas naquilo que se refere à investigação de arquivo
  • e a todo o processo que envolve a denúncia tanto de casos de violência quanto do modo como eles foram geridos.

A situação é diferente em relação aos países anglo-saxões,

  • onde os promotores podem impor a entrega dos arquivos eclesiásticos aos juízes responsáveis
  • – o que também pode ser um alívio enorme para a própria Igreja,
  • como expressou recentemente o bispo de Belfast.

Mertes também lembrou que

  • a questão dos abusos e das violências não diz respeito apenas à Igreja, mas a toda a sociedade e a todo o tecido das relações humanas.
  • Isso não para justificar, mas para conscientizar de que existem muitos setores da vivência social
  • que ainda escapam de um processo de esclarecimento, investigação e responsabilidade civil e penal a esse respeito (em particular o esporte e as escolas).

“Tratando-se de um problema geral, acho que a Igreja está prestando um bom serviço à sociedade no momento em que assumiu a tarefa de trazer à tona os casos de abuso no seu interior.

Neste momento, a Igreja alemã também tem uma boa reputação, uma espécie de exemplaridade na sociedade, e não apenas uma má reputação (…).

Quem assume tal questão na Alemanha sabe muito bem que, nesse meio tempo, pode encontrar na Igreja o parceiro mais forte e adequado.”

marcello-neri - SettimanaNews

.

Marcello Neri

Fonte: http://www.ihu.unisinos.br/612023-abusos-na-igreja-da-alemanha-entre-verificacao-e-exemplaridade

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>