Brasília: O mau cheiro começa a ficar insuportável – Frases do dia

IHU – 25 Junho 2021 – Foto: DAQUI

 “O escândalo da Covaxin complica as racionalizações. Não são mais familiares nem auxiliares que aparecem no turbilhão das suspeitas, mas o próprio presidente. Não estamos mais falando dos “trocados” das rachadinhas, mas de um esquema bilionário, que rivalizaria com os desvios do PT” 

Putrefação moral

“O governo de Jair Bolsonaro está se decompondo. E o mau cheiro começa a ficar insuportável. (…) Como acontece com os cadáveres, a luz do sol acelera a putrefação moral do governo. Mais do que nunca, é preciso desenterrar o que a truculência bolsonarista quer esconder” – editorial ‘Putrefação moral’ – O Estado de S. Paulo, 25-06-2021.

 

CPI pode ganhar forte impulso ou acabar nesta sexta-feira

“Senadores do G7 adotaram, em privado, tom de cautela em relação aos depoimentos do servidor Luis Ricardo Fernandes Miranda e do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) na CPI da Covid. Claro, as expectativas são altas porque ambos podem mudar os rumos da comissão e até a história do País.

Mas há o temor de que arroubos retóricos prevaleçam sobre indícios e provas. Se isso acontecer, na visão desses senadores, favorecerá os governistas, alimentando conspirações e reforçando a tese da “politização”. Senador importante sintetiza: a CPI pode ganhar forte impulso ou acabar nesta sexta-feira, 25” – Coluna do Estadão – O Estado de S. Paulo, 26-06-2021.

 

A ver

“A cúpula dirigente da comissão deve tomar as medidas cabíveis para que, mesmo como testemunha, o deputado Miranda, principalmente, diga somente a verdade. E, se mentir, será responsabilizado” – Coluna do Estadão – O Estado de S. Paulo, 26-06-2021.

 

Para lembrar

“Como revelou a Coluna, Luis Miranda disse a senadores que pode ‘derrubar a República’” – Coluna do Estadão – O Estado de S. Paulo, 26-06-2021.

 

Bomba de maior potencial explosivo

“O caso Covaxin é, entre todas as bombas já detectadas no Palácio do Planalto, a de maior potencial explosivo até hoje. Pode ser assim resumido: um funcionário do ministério da Saúde denuncia ao presidente da República que foi pressionado a autorizar a importação de vacinas que, além de custarem 50% mais que as da Pfizer, estavam com data de validade próxima do vencimento, implicavam pagamento antecipado e não se enquadravam nas regras da Anvisa” – Thaís Oyama, jornalista – Portal Uol, 24-06-2021.

 

A Covaxingate mal começou

“A investigação do que já vem sendo profeticamente chamado de Covaxingate mal começou. Mas já está no ar uma pergunta objetiva e crucial à espera de resposta: Bolsonaro determinou que a Polícia Federal investigasse a denúncia feita pelo servidor Luis Ricardo Miranda e seu irmão deputado? Se não fez isso, prevaricou. Se fez, quem prevaricou foi a PF, na pessoa do seu diretor-geral, Rolando Alexandre (ao jornal O Globo, ele já disse não se recordar de ter conversado sobre o assunto com o presidente)” – Thaís Oyama, jornalista – Portal Uol, 24-06-2021.

 

Escândalo da Covaxin complica as racionalizações

“O escândalo da Covaxin complica as racionalizações. Não são mais familiares nem auxiliares que aparecem no turbilhão das suspeitas, mas o próprio presidente. Não estamos mais falando dos “trocados” das rachadinhas, mas de um esquema bilionário, que rivalizaria com os desvios do PT” – Helio Schwartsman, jornalista – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Autoengano

“Uma das características mais fascinantes do cérebro humano é sua capacidade para o autoengano. Já posso escutar o bolsonarista obstinado afirmando que prevaricação não é corrupção. Preciosismos jurídicos à parte, num país mais decente, o capitão já teria sido deposto e estaria sendo julgado, com chance de parar na cadeia” – Helio Schwartsman, jornalista – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Primário, estúpido e cruel

“Mas nenhum (presidente da República) tão primário, estúpido e cruel quanto Bolsonaro. Seu estilo de governar às bofetadas, inspirado em Átila, Vlad Dracul e Mussolini, já é um marco na história da boçalidade. Ninguém, em tão pouco tempo, desrespeitou tanto uma nação e seu governo, suas instituições e sua dignidade. Ninguém nos reduziu tão bem a um país de merda —ou, segundo o próprio Bolsonaro, de maricas, idiotas e otários” – Ruy Castro, jornalista e escritor – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Centauro a motor, metade cavalo e a outra metade também

“Ninguém nos tornou tão irreconhecíveis aos nossos próprios olhos — a cada dia que o deixamos no poder, nos acanalhamos como povo. E ninguém levou tantos de nós à morte, de maneira tão consciente e premeditada, contando com a nossa omissão e insensibilidade.

Jair Bolsonaro faz tudo isto cercando-se de capangas de bíceps e pescoços ameaçadores, peritos em armas de fogo, oriundos dos quartéis, academias e esgotos, muitos cavalgando motocicletas.

Ele próprio é um centauro a motor, metade cavalo e a outra metade também. Se alguém o desafia, os políticos a seu soldo se juntam e partem para a intimidação. Mas a terra treme sob ele a uma palavra — corrupção” – Ruy Castro, jornalista e escritor – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Quociente de macheza

“É a hora. A partir de agora, diante das denúncias que começam a vir à tona, é que saberemos o seu quociente de macheza” – Ruy Castro, jornalista e escritor – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Opereta de horror político

“A política nas próximas semanas deve ser agitada. Haverá uma ofensiva da oposição mais à esquerda, com alguns agregados acidentais. O bunker do governo está em desarranjo por causa da CPI e de outros problemas com a Justiça. A popularidade de Jair Bolsonaro parece se arrastar pela mínima de 23%, segundo pesquisa Ipec (o pessoal que fazia pesquisa de opinião para o Ibope).

Ainda nesse quase mês adiante, o governo promete uma contraofensiva, com agrados sociais e fiscais. Pode tudo se resumir a mais uma opereta de horror político, condizente, portanto, com os tempos bolsonarianos, mas que não vai a lugar algum” – Vinicius Torres Freire, jornalista – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Grosso da Câmara e o lirismo de Lira

“É possível, mas não certo, que a despiora da economia e o avanço mais rápido da vacinação desanuviem o clima para o governo. Não se sabe. Depende muito também de política. O fato principal, por ora, é que a oposição à esquerda e alguns agregados estão isolados, por omissão das elites que escreveram tantas cartas de repúdio e pela adesão do grosso da Câmara ao lirismo de Lira e pela oportunidade de arrancar dinheiros e favores de Bolsonaro” – Vinicius Torres Freire, jornalista – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Superpedido de impeachment contra Jair Bolsonaro

“Líderes de partidos, de movimentos sociais e deputados decidiram em reunião nesta quinta-feira (24) que apresentarão na quarta-feira (30) o chamado superpedido de impeachment contra Jair Bolsonaro, que reúne mais de 100 pedidos feitos por siglas e grupos de oposição e parlamentares que se arrependeram de ter apoiado o presidente, como Joice Hasselmann (PSL-SP) e Alexandre Frota (PSDB-SP). Presidentes de PSOL, PT, PC do B, PDT, PSB, Rede, UP, PV e Cidadania têm liderado as discussões.

A expectativa é a de que por se tratar de iniciativa supraideológica o pedido tenda a ganhar força e elevar a pressão para que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), analise as acusações.

A entrega dos pedidos contará também com um ato na Câmara dos Deputados, em Brasília, programado para as 14h30, com a presença de entidades que fazem parte da mobilização pelo superpedido, como UNE (União Nacional dos Estudantes) e MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), além de parlamentares” – Mônica Bergamo, jornalista – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Covaxin na requisição

“Os coordenadores do superpedido de impeachment contra Jair Bolsonaro (sem partido), que reúne partidos de esquerda e ex-aliados do presidente, decidirão nesta sexta (25) se incluirão as denúncias envolvendo a compra da vacina Covaxin na requisição” – Mônica Bergamo, jornalista – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Logo ele?

“Um grupo de juristas decidiu retirar textos de um livro que está sendo organizado para homenagear o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, que se aposenta em julho.

Eles afirmam que ficaram indignados com a homenagem do decano do STF a Sergio Moro na votação em que o ex-juiz foi considerado suspeito no julgamento de Lula no caso do triplex.

Mello votou a favor do ex-magistrado e o definiu como “um verdadeiro herói nacional”.

Um dos que recuaram da homenagem foi o jurista Lênio Streck.

“Sempre estive ao lado do Marco Aurélio Mello garantista. Sempre”,

afirma o jurista Lenio Streck, que retirou um texto do livro. Lembrando que o ministro já era voto vencido quando elogiou Moro, ele questiona:

“Por que, então, afirmar, gratuitamente, que Moro é um herói nacional? Um juiz declarado suspeito pela maioria do STF é herói? Parece claramente o incentivo à criação de uma narrativa que pretende salvar Moro. E isso não é tolerável!”

– Mônica Bergamo, jornalista – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

Covid longa

“Os dados sugerem que no Brasil temos, potencialmente, 2,5 milhões de pessoas com a Covid longa. Com a aproximação da terceira onda da pandemia e a lentidão na vacinação, a perspectiva é que esse número aumente. No Brasil, a comunidade de profissionais da saúde reconhece o problema e tem alertado para a necessidade de criação de protocolos e unidades para tratamento de pacientes nessas condições”

– Marimelia Porcionatto, professora da Escola Paulista de Medicina (Unifesp), presidente da Sociedade Brasileira de Biologia Celular (SBBC) – Folha de S. Paulo, 26-06-2021.

 

Sequelas da Covid

“As sequelas da Covid vão além dos sintomas físicos. Enfrentaremos sequelas na educação e na economia, e a participação da comunidade científica na proposição de soluções para os problemas é, como sempre, fundamental e imprescindível”

– Marimelia Porcionatto, professora da Escola Paulista de Medicina (Unifesp), presidente da Sociedade Brasileira de Biologia Celular (SBBC) – Folha de S. Paulo, 26-06-2021.

 

1% mais rico detém metade da riqueza total do Brasil

“Quase metade da riqueza total do Brasil, ou 49,6%, foi parar nas mãos do 1% mais rico no ano passado, mesmo durante a pandemia do novo coronavírus. Há 20 anos, o topo da pirâmide detinha 44,2%. Os dados fazem parte do relatório de Riqueza Global, que é publicado uma vez por ano pelo banco Credit Suisse. Na comparação entre dez países, apenas o topo da pirâmide da Rússia conseguiu concentrar mais riqueza do que a elite no Brasil”

– Douglas Gavras, jornalista – Folha de S. Paulo, 25-06-2021.

 

2 comments to Brasília: O mau cheiro começa a ficar insuportável – Frases do dia

  • Irene Maria Ortlieb Guerreiro Cacais

    Quando será que esta nação acorda?

  • Beto

    Frase num caminhão como resposta ao artigo: Foi só um presidente declarar que Deus está acima de todos, que o inferno inteiro se levantou contra ele.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>