O Papa recorda os mártires coptas: “Decapitados pela brutalidade de Ísis, são santos de todos os cristãos”

Il Papa ricorda i martiri copti: “Sgozzati dalla brutalità dell’Isis, sono Santi di tutti i cristiani”

SALVATORE CERNUZIO – Publicado EM – 16 de fevereiro de 2021 – Foto: divulgada pelo DAESH

Mensagem de vídeo por ocasião de um webinar para o “Dia dos Mártires Contemporâneos”, organizado pela Diocese Copta Ortodoxa de Londres 

 Papa recorda os mártires coptas: “Degolados pela brutalidade de Ísis, são santos de todos os cristãos”

 

CIDADE DO VATICANO.

Eles tinham “ido trabalhar no exterior para sustentar as suas famílias” e acabaram numa praia na Líbia “degolados pela brutalidade de Ísis”.

Eram

“homens normais, pais de família, homens com a ilusão [o desejo] de ter filhos; homens com a dignidade dos trabalhadores, que não só procuram ter pão em casa, mas levá-lo para casa com a dignidade do trabalho”, e que,  ao contrário, depois desse “batismo de sangue”, são agora aclamados como santos de “todas as confissões e tradições cristãs”.

No “Dia dos Mártires Contemporâneos” organizado pela Diocese Copta Ortodoxa de Londres para comemorar o seu sacrifício – o Papa Francisco recorda os 20 ortodoxos coptas egípcios que, junto com um ganês, foram decapitados seis anos atrás por membros do autodenominado Estado Islâmico.

Um assassinato macabro, que aconteceu quando o mundo ainda não conhecia bem a brutalidade do Daesh1, e cujas imagens foram difundidas por todo o mundo pelos próprios assassinos.

  • Agora, a fotografia dos 21 homens de macacão laranja, com o olhar voltado para Roma, ajoelhados na areia,
  • tendo atrás deles milicianos encapuzados com uniformes pretos,
  • tornou-se a imagem simbólica de todos os cristãos mortos pelos terroristas islâmicos.

Os seus restos mortais foram localizados no final de setembro de 2017 numa vala comum no litoral da Líbia, perto da cidade de Sirte. Os corpos foram encontrados com as mãos amarradas nas costas, e vestidos com o mesmo macacão laranja que usavam e que aparece no vídeo feito pelos jihadistas.

O patriarca Tawadros quis logo inserir os mártires no Synaxarium2, o livro dos mártires da Igreja copta, estabelecendo que a sua memória fosse celebrada justamente no dia 15 de fevereiro.

Já em várias ocasiões o Pontífice tinha recordado o exemplo dos 21 coptas, em particular o “testemunho de Jesus Cristo” dado com o seu sacrifício.

“Decapitados pela brutalidade do Ísis, morreram dizendo: ‘Senhor Jesus!’, confessando o nome de Jesus”,

reitera hoje o papa na mensagem de vídeo transmitida durante um webinar organizado para o evento em que participam

  • Tawadros II, patriarca da Igreja Copta Ortodoxa;
  • o Arcebispo de Canterbury, Justin Welby;
  • o cardeal Kurt Koch, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos,
  • e representantes de outras Igrejas.

Francisco diz que se junta à comemoração deste “Dia dos Mártires Contemporâneos”, e afirma que

 “é um acontecimento comemorativo de agradecimento pela vida daqueles que praticaram a sua fé cristã até ao derramamento de sangue; e de sensibilização pela tragédia de todos os que ainda hoje são perseguidos pela sua fé”.

“É o dia de hoje que tenho no meu coração, aquele fevereiro de 2015. Tenho no meu coração aquele batismo de sangue, estes vinte e um homens batizados cristãos com a água e com o Espírito, e naquele dia também batizados com o sangue. São os nossos Santos,  Santos de todos os cristãos, Santos de todas as confissões e tradições cristãs. São aqueles que tornaram alva a sua vida no sangue do Cordeiro, são aqueles …  do povo de Deus, do povo fiel de Deus”, afirma.

“É verdade – acrescenta o pontífice no vídeo – que houve uma tragédia, que essas pessoas deixaram a vida na praia; mas também é verdade que a praia foi abençoada com o sangue deles. Mas é ainda mais verdade que pela sua simplicidade, pela sua fé simples mas coerente, receberam o maior dom que um cristão pode receber: o testemunho de Jesus Cristo até dar a vida”.

O Papa Bergoglio agradece a Deus

  • por “estes irmãos corajosos”
  • e também  pelos bispos e padres da “Igreja irmã copta” que “os criaram, os ensinaram a crescer na fé”.

Um agradecimento especial vai para as

“mães destas pessoas, destes vinte e um homens que ‘amamentaram’ a fé deles: são as mães do povo santo de Deus que transmitem a fé  ‘em dialeto’, um dialeto que vai além das línguas , o dialeto dos pertencimentos”.

Ao mesmo tempo no Egito, de forma sóbria e recolhida devido às medidas de distanciamento social por causa do Covid, celebrava-se a memória das vítimas coptas.

Conforme noticiado pela agência Fides, na noite de domingo, 14 de fevereiro, na aldeia de al Awar (província egípcia de Minya), foi realizada uma vigília comemorativa na igreja-santuário dedicado aos “Mártires da Fé e da Pátria”, onde os restos mortais são conservados.

Participaram da comemoração vários padres e também uma significativa representação dos familiares dos mártires.

 

Imagem

 

Salvatore Cernuzio

 

Fonte: https://www.lastampa.it/vatican-insider/it/2021/02/16/news/il-papa-ricorda-i-martiri-copti-sgozzati-dalla-brutalita-dell-isis-sono-santi-di-tutti-i-cristiani-1.39908687

 

 

 

NOTAS:

1 DAESH –acrônimo (inglês) do nome árabe que os terroristas islâmicos da Síria e do Iraque dão a si mesmos.Significa Estado Islâmico do Iraque e do Levante.

Sinaxário (em latim: Synaxarium, pl. Synaxaria; em grego: Συναξάριον; romaniz.: Synaxarion, derivado de συνάγειν, synagein – “juntar”) é uma compilação de hagiografias da Igreja Ortodoxa e da Igreja Católica Oriental que correspondem, grosso modo, aos martirológios da Igreja Católica Romana. (Wikipedia)

 

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>