Trump se nega a prometer transição pacífica se perder eleições de novembro

ELEIÇÕES EUA 2020

“Vamos ver o que acontece. Tenho me queixado muito do voto [pelo correio], é um desastre”, afirma o presidente dos EUA, alimentando a acusação de fraude na votação postal

 

Donald Trump na tarde desta quarta-feira, durante uma entrevista coletiva na Casa Branca.
AMANDA MARS –  Washington – 24 SEP 2020

Donald Trump na tarde desta quarta-feira, durante uma entrevista coletiva na Casa Branca.TOM BRENNER / REUTERS

“Vamos ver o que acontece. Você sabe que eu tenho me queixado muito do voto [pelo correio], é um completo desastre”, afirmou, alimentando as dúvidas.

 

 

Donald Trump já vislumbra o resultado das eleições presidenciais de 3 de novembro sendo levado à Suprema Corte.

  • O presidente dos Estados Unidos vem há várias semanas semeando dúvidas sobre a fiabilidade do sistema e sobre o voto postal, que neste ano deve ser em volume maciço por causa da pandemia.
  • Na tarde de quarta-feira ele foi além, recusando-se a assumir o compromisso de promover uma transição pacífica caso saia derrotado.

Em entrevista coletiva na Casa Branca, o republicano foi diretamente questionado por um jornalista sobre isso, em duas ocasiões, e em ambas respondeu com evasivas.

“Vamos ver o que acontece. Você sabe que eu tenho me queixado muito do voto [pelo correio], é um completo desastre”, afirmou, alimentando as dúvidas.

O mandatário

Na noite desta quarta-feira, em Louisville (Kentucky), dois policiais foram baleados em manifestações contra a decisão de um júri de instrução de arquivar as acusações de homicídio contra três policiais envolvidos na morte a tiros da jovem negra Breonna Taylor, durante a execução de um mandado de busca em sua casa, em 13 de março.

 

Durante a coletiva de Trump, um jornalista fez referência à tensão social nos EUA em sua pergunta ao presidente.

“Há pessoas provocando distúrbios. O senhor se compromete a assegurar que haverá uma transição pacífica do poder?”

insistiu. E Trump respondeu:

“Queremos nos livrar desses votos [postais, que ele alega, sem qualquer base, serem fraudulentas] e teremos uma transição pacífica; bom, não haverá transição, haverá uma continuidade”,

afirmou, prognosticando assim sua vitória eleitoral.

“As cédulas estão fora de controle e os democratas sabem disso melhor do que ninguém”, acrescentou.

Durante a campanha eleitoral de 2016, Trump já havia deixado dúvidas sobre sua disposição em aceitar uma derrota ― como previa a maioria das pesquisas. Agora voltou ao tema, mas as circunstâncias são completamente diferentes.

  • Com a pandemia, a maioria dos Estados flexibilizou as exigências para o voto postal
  • e estima-se que até 78% do eleitorado norte-americano ― um recorde ― possa utilizá-lo.

Muitos especialistas concordam que, por esse motivo,

  • é provável que o vencedor não seja conhecido na madrugada de 3 para 4 de novembro,
  • e sim dias depois, quando todas as cédulas trazidas pelos carteiros terminem de ser apuradas.

Essa incerteza é um campo minado no atual clima de polarização política e social.

Também na quarta-feira, em declarações à imprensa durante uma reunião com secretários de Justiça de vários Estados,

“Acredito que isto acabará na Suprema Corte, e é muito importante que tenhamos nove juízes”, disse. “É melhor [confirmar um novo magistrado] antes das eleições, porque acredito que esta fraude que os democratas estão preparando acabará na Suprema Corte dos Estados Unidos”, acrescentou.

Neste sábado ele anunciará o nome indicado para ocupar a vaga de Ginsburg, uma substituição que o ajudará a reforçar a maioria conservadora na corte que, na prática, pode acabar decidindo a eleição.

 

Amanda Mars - Washington Correspondent - El Pais | LinkedIn

.

Amanda Mars

Fonte:  https://brasil.elpais.com/internacional/2020-09-24/trump-se-nega-a-prometer-transicao-pacifica-se-perder-eleicoes-de-novembro.html

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>