Há 42 anos morria nos EUA, Frei Lucas, o fundador da Clínica dos Pobres em Santarém

Florêncio Vaz  – 18/09/2020  – Créditos: Foto:  http://timeline.lumifish.eu

Num dia como hoje (18/09/78) morreu aos 45 anos de idade o médico Frei Lucas Tupper. Após sete anos de intensas atividades em Santarém, onde criou a “Clínica dos pobres”. E se encontrava nos Estados Unidos se especializando em oftalmologia.

 

“Sua história é muito interessante, e não pode ficar esquecida”,

escreveu no twitter o antropólogo e frade franciscano Florêncio de Almeida Vaz.

  • “Esta história ainda precisa ser mais pesquisada.
  • Certo é q havia um clima ruim contra o Frei Lucas e sua clínica e navio a serviço da saúde dos “pobres”.
  • Era a Ditadura, lembrem. Em 76, ele volta pros EUA. Em 77, foi criada a Fundação Esperança (FE), entidade privada e brasileira.”, comenta Florêncio.

Como jovem militar, James (seu nome de batismo)

  • conheceu a pobreza em outros países,
  • e resolveu ser médico missionário.

Em 1963 entrou pra Ordem dos Frades Menores (OFM), os Franciscanos. Chegou ao Brasil em 68, e foi estudar teologia em Salvador (BA).

  • James visitou Santarém e Monte Alegre (PA) pela primeira vez em 1969,
  • e se admirou com a realidade de doenças já erradicadas nos EUA. Isso o marcou muito.

Foi ordenado padre e mudou seu nome pra Lucas, o evangelista que era médico. E começou em Santarém uma ousada campanha de vacinação.

  • “O alvo eram doenças como coqueluche, tuberculose, sarampo, tétano etc.
  • Em dois anos, 71 mil pessoas foram imunizadas nas comunidades e municípios da região.
  • Em 73, a sua “Clínica dos pobres” começou a funcionar. Ali por trás da Igreja de São Francisco, no Caranazal”,

relembra Florêncio.

 

O Barco-Hospital ESPERANÇA. Foto: Daqui

 

Por  iniciativa de Frei Lucas,

  • em 1974 chega dos EUA o barco-hospital Esperança, com 20 metros de comprimento,
  • equipado com laboratório, enfermaria, raio-x, centro cirúrgico.
  • Uma revolução na saúde na região!

O Esperança visitou muitas comunidades/municípios, e fez 132 cirurgias naquele ano.

Em 1976, o Projeto Esperança

  • havia reduzido em quase 50% a taxa de mortalidade de doenças até então endêmicas.
  • 150 mil pessoas imunizadas.
  • Muito foi feito em saúde preventiva.

E isso incomodou alguns médicos e autoridades. Houve abaixo-assinado porque um estrangeiro comandava o Projeto.

De acordo com Florêncio,

  • “o incômodo do grupo de médicos e autoridades provavelmente não era tanto por Frei Lucas ser estrangeiro.
  • O problema é que ele praticava uma medicina preventiva e gratuita (distribuindo inclusive medicamentos),
  • retirando os lucros de quem ganhava com as doenças dos “pobres”.”

Em 1979 houve a última viagem do hospital fluvial Esperança, pelas comunidades ribeirinhas.

Em 1984

  • a Fundação Esperança começou a formar Auxiliar de Enfermagem,
  • e depois virou o Instituto Esperança de Ensino Superior (IESPES).

“Mais tarde veio o barco “Abaré”, e agora a “Papa Francisco”… Mas seria bom lembrar que antes houve o sonho real de Frei Lucas, o médico dos pobres e dos ribeirinhos”,

observa o antropólogo. Frei Lucas foi enterrado em Chicago.

Ano XIV, Edição Digital nº 4107. | Santarém-Pará, Sexta-Feira, 18 de Setembro de 2020.
 

 

.

 

Florêncio Vaz

Florêncio Vaz é frade franciscano e antropólogo e ativista indígena, professor na Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), em Santarém, pesquisador sobre a história e a cultura da região do baixo rio Tapajós.

Fonte:  https://www.oestadonet.com.br/noticia/18045/ha-42-anos-morria-nos-eua-frei-lucas-o-fundador-da-clinica-dos-pobres-em-santarem/

 

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>