O Papa canonizará Charles de Foucauld, o “padre do deserto”

Francisco aprova o milagre atribuído à intercessão do mártir

 

El Papa canonizará a Charles de Foucauld, el "padre del desierto"

Jesus Bastante –  27/05/2020 – Charles de Foucauld, o “padre do deserto” / Religion Digital

O amigo dos tuaregues e mártir foi o inspirador de uma corrente de pensamento e reflexão que chega aos nossos dias. 

Atualmente, a “família espiritual Charles de Foucauld” compreende várias associações de fiéis, comunidades religiosas e institutos seculares de leigos e sacerdotes

 “Conheço a tua miséria, as lutas e atribulações da tua alma, as fraquezas e as doenças do teu corpo; conheço a tua covardia, os teus pecados e as tuas fraquezas. Apesar de tudo, eu te digo: dá-me o teu coração, ama-me como és” 

 

Charles de Foucauld será santo … se é que  alguém pensava que já não o era. O mestre do deserto, da pregação com a própria vida (até dá-la, em Tamanrasset, em 1916), cujos críticos afirmavam que nunca converteu ninguém, será canonizado depois que o Papa aprovar o milagre atribuído à sua intercessão. Só falta a data do milagre.

O “irmão universal” nasceu em Estrasburgo em 15 de setembro de 1858. Órfão aos 6 anos, cresceu junto com a sua irmã Maria, sob os cuidados do seu avô, orientando-se para a carreira militar.

Adolescente, perde a fé. Conhecido pelo seu gosto pela vida fácil, ele revela, contudo, uma vontade forte e constante nas dificuldades. Empreende uma exploração perigosa em Marrocos (1883-1884). O testemunho de fé dos Muçulmanos desperta nele um questionamento sobre Deus: “Meu Deus, se existe, faz com que eu te conheça”.

Regressando à França, emociona-se muito com a acolhida discreta e carinhosa da sua família, profundamente cristã, e começa uma busca. Orientado por um sacerdote, o padre Huvelin, encontra Deus em outubro de 1886. Tem 28 anos. “Assim que compreendi que havia um Deus, entendi que não podia fazer outra coisa a não ser viver apenas para Ele”.

Ermita de Charles de Foucald

Ermida de Charles de Foucald em Tamanrasset / Religion Digital

 

Durante uma peregrinação à Terra Santa, descobre a sua vocação: seguir Jesus na sua vida em Nazaré. Passa 7 anos na Trapa, primeiro em Notre Dame des Neiges (N.S. das Neves), depois em Akbes, na Síria. Em seguida, vive sozinho em oração e adoração perto das Clarissas de Nazaré.

Ordenado sacerdote aos 43 anos de idade (1901), ele parte para o Saara, primeiro para Beni-Abbes, depois para Tamanrasset, no meio dos tuaregues do Hoggar. Quer ir ao encontro dos mais distantes, “os mais esquecidos e abandonados”.

Quer que cada um dos que o visitem o considerem como um irmão, “o irmão universal”. Quer

“gritar o evangelho com toda a sua vida, num grande respeito pela cultura e pela fé daqueles no meio dos quais  vive. “Eu gostaria de ser bom o bastante  para que eles digam: ‘Se tal é o servidor, como então será o Mestre…’?”.

No entardecer de 1º de dezembro de 1916, foi assassinado por uma bando que cercou a casa.

Charles de Foucald

Charles de Foucauld – Foto: Daqui

 

Sempre sonhou em compartilhar a sua vocação com outros, depois de escrever várias regras religiosas; pensou que esta “vida de Nazaré” poderia ser vivida em todos os lugares e por todos. Atualmente, a “família espiritual Charles de Foucauld” compreende

  • várias associações de fiéis,
  • comunidades religiosas
  • e institutos seculares de leigos e sacerdotes.

Foi beatificado por Bento XVI em 13 de novembro de 2005 na Basílica de São Pedro em Roma.

 

 

Jesus Bastánte

 

https://www.religiondigital.org/mundo/Papa-canonizara-Charles-Foucald-desierto-argelia-tuaregs_0_2235376459.html

 

.

***********************************************************

 

 “Com Charles de Foucauld, sonhar um mundo com o sobrenome ‘de Jesus’”

Charles de Foucauld

Charles de Foucauld / Religion Digital

 Santiago Agrelo, 27/05/20

Nós esperávamos por ela desde há anos. Esta é a notícia: Hoje, 26 de maio de 2020, o Santo Padre Francisco autorizou a promulgação do decreto referente ao milagre atribuído à intercessão do bem-aventurado Charles de Foucauld , sacerdote diocesano.

Isso significa que já podemos dizer: Charles de Foucauld, santo.

Esperávamos isto, pelo que este reconhecimento significa para ele, pelo que significa para a sua família espiritual, por quantos encontraram em Charles de Foucauld – em Carlos de Jesus – um modo de vida, um exemplo de busca no caminho da fé, um modo de entrega a Jesus por quem finalmente Carlos foi encontrado.

Pessoalmente, eu esperava isto, pelo que Charles de Foucauld representa para a Igreja que peregrina no norte da África, Igreja tantas vezes apontada com arrogância como

  • insignificante,
  • incapaz de “alargar as suas tendas” para abrigar novos filhos,
  • como uma Igreja muda,
  • como pobre Igreja indigna de qualquer reconhecimento.

 

Foucauld

Foucauld / Religion Digital

Charles de Foucauld ia na nossa frente.

  • No coração – no dele e nos nossos – os mesmos hóspedes: a Trindade  Santa, Jesus o Senhor, e um mundo de irmãos, uma multidão da qual eram e são parte essencial os muçulmanos. 
  • Na mente, as mesmas preocupações, para que  a ninguém falte liberdade, alegria e pão.

Hoje é um dia de festa para o irmão Carlos, para a sua numerosa família espiritual , para a Igreja que serve a Deus e aos pobres no norte da África, e para mim que tive a felicidade de compartilhar com essa Igreja preocupações, trabalhos, esperanças e alegrias.

Hoje quero juntar num abraço quantos, mulheres e homens, levam associado ao seu nome esse sobrenome espiritual, “de Jesus” .

E com todos eles quero sonhar para amanhã um mundo que seja finalmente e alegremente “de Jesus” .

 

Agrelo y Foucauld

 

Santiago Agrelo, Arcebispo Emérito de Tânger

Fonte:https://www.religiondigital.org/opinion/Santiago-Agrelo-Charles-Foucauld-Jesus-iglesia-religion-africa-hermanitos_0_2235376485.html

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>