“Não podemos colocar a questão do celibato acima da celebração da Eucaristia!”, afirma dom Erwin Kräutler

 Lucía López Alonso – 19 Fevereiro 2020 – Foto: Daqui

 O bispo emérito do Xingu está “extremamente satisfeito com… três sonhos e meio!”

Erwin Kräutler, bispo emérito do Xingu, explicou sua visão da Exortação Apostólica Pós-Sinodal “Querida Amazônia”, em uma entrevista concedida ao catch.ch.

A reportagem é de Lucía López Alonso, publicada por Religión Digital, 18-02-2020. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

 

Participante central do Sínodo da Amazônia em Roma, bem como da REPAM no Brasil, o missionário conhece perfeitamente as comunidades indígenas e ficou grato pelo papa Francisco as ter tornado visíveis em “Querida Amazônia”.

  • “Estou extremamente satisfeito com… três sonhos e meio!”,
  • disse ele, referindo elogios às seções do documento em que o Papa descreve os seus sonhos “sociaisculturais e ecológicos
  • e sublinhando sua “perplexidade” ao chegar no “sonho eclesial”.

“Senti uma ruptura”, confessa o bispo, que esperava que Francisco anunciasse a aprovação do ‘viri probati‘, a ordenação de padres casados.

O bispo emérito do Xingu destacou que,

  • enquanto nas demais seções do texto o Pontífice se expressa enfaticamente,
  • exigindo “proteger a floresta amazônica”
  • e usando os termos “injustiça e crime” para se referir a operações econômicas que operam sem controle na região amazônica,
  • o sonho eclesial precisa aterrissar na realidade.

Erwin Kräutler assegura, a esse respeito, que

  • “muitas pessoas, inclusive eu, acharam esta parte muito estranha porque realmente muda de estilo”,
  • como se a escrita papal tivesse sofrido uma intervenção na parte mais controversa da exortação apostólica. A que reunia expectativas de renovação entre os missionários da Amazônia.

“Senti isso particularmente quando vi que nem o cardeal Claudio Hummes, relator do Sínodo, nem o cardeal Pedro Barreto foram convidados para a apresentação do texto em Roma”, lamenta.

 

O papa Francisco tedve a coragem profética de convocar um Sínodo extraordinário para a Amazônia | © Amauri Aguiar/Flickr/CC BY-NC-ND

 

Reconhecendo que continua

“sem entender por que essa medida não foi incluída na exortação”,

o bispo lembrou que não se deve perder a esperança, pois

“a questão continuará sendo levantada, em particular pelos bispos que, como eu, votaram pelos viri probati.

  • “Afinal – continuou – não esperávamos que o papa concordasse com isso imediatamente.
  • Isso ocorre porque também precisamos chegar a um acordo que seja aceito pela Igreja Católica em todo o mundo”.
Papa y Krautler

 Erwin Kräutler com Francisco: “negar os viri probati, foi um erro estrtatégico” / Daqui

Um erro estratégico

Da mesma forma, ele definiu a negação do ‘viri probati’ como um “erro estratégico”, pois, na sua perspectiva,

  • “a única maneira de resolver o problema da falta de padres é tirar proveito das riquezas da Amazônia”.
  • Os leigos, as mulheres... cujo papel tampouco foi defendido em “Querida Amazônia”, que não deu firmeza para o diaconato feminino.

“Senti isso particularmente quando vi que nem o cardeal Claudio Hummes, que era relator do Sínodo, nem o cardeal Pedro Barreto foram convidados a apresentar o texto em Roma”,

lamenta o prelado, descrevendo que na Amazônia os leigos substituem os consagrados em muitas comunidades remotas.

“Mas permanece o problema de que eles não podem presidir a Missa. Eles podem celebrar batismos. Eles podem pregar. Eles podem liderar uma comunidade. Mas eles não podem administrar os sacramentos fora do batismo”, diz o bispo Emérito.

Para ele,

  • essa missa não poder ser celebrada onde um padre não chega
  • é negar aos católicos o direito fundamental da Eucaristia.

“Não podemos colocar a questão do celibato acima da celebração da Eucaristia!”,

afirma. Embora reconheça que neste tipo de comunidades

  • os evangélicos ganham credibilidade,
  • porque vivem neles encarnados
  • em vez de “estarem de passagem”.

Por fim, ele denuncia a falta de destaque feminino:

“para dizer a verdade, não sei como explicar isso aos fiéis. Sinceramente, esperava mais avanços nessa questão, porque é uma questão de justiça de gênero”.

 

 

Lucía López Alonso

Fontes:  http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/596452-nao-podemos-colocar-a-questao-do-celibato-acima-da-celebracao-da-eucaristia-afirma-dom-erwin-kraeutler

www.cath.ch/newsf/mgr-krautler-le-reve-ecclesial-de-querida-amazonia-manque-daudace

 

 

Leia mais:

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>