Por que Trump não é um verdadeiro populista?

Ele parece determinado a trair sua base.

Trump supporters last month at a rally in Pennsylvania.

 Paul Krugman – 17 de junho de 2019

Tradução: Orlando Almeida

Foto: Apoiadores do Trump no mês passado num comício na Pensilvânia /   Eric Thayer para o New York Times

“Eu amo as pessoas com pouca educação”.  Assim declarou Donald Trump em fevereiro de 2016, após uma vitória decisiva nas primárias de Nevada.

E as pessoas com pouca educação retribuem esse amor: brancos sem um diploma universitário são praticamente o único grupo no qual Trump tem mais de 50% de aprovação.

 

Mas, neste caso, por que Trump não se tem mostrado  disposto a fazer nada, e quero dizer nada mesmo, para ajudar essas pessoas  que o instalaram na Casa Branca?

A mídia noticiosa costuma descrever Trump como um “populista” e colocam-no junto com políticos de outros países, como o húngaro Viktor Orban, que também ganhou poder explorando o ressentimento dos brancos contra os imigrantes e as elites globais. E há, de fato, paralelos fortes e assustadores: de fato Orban transformou a Hungria num Estado autoritário, mantendo as formas de democracia, mas manipulando o sistema de tal maneira que o seu partido tenha um controle permanente sobre o poder.

É alarmante ver como é fácil imaginar os EUA seguindo o mesmo caminho, e muito em breve:

  • se Trump for reeleito no próximo ano,
  • isso pode marcar o fim do experimento democrático dos Estados Unidos.

Mas o sucesso de Orban dependeu em parte de ter jogado pelo menos alguns ossos à sua base eleitoral. A Hungria

  • instituiu um programa de empregos públicos nas áreas rurais;
  • ofereceu redução da dívida, livros escolares gratuitos e almoços;
  • e assim por diante, pagos em parte por um aumento significativo nos impostos.

Na verdade esses empregos públicos pagam salários muito baixos,

  • e Orban também praticou um capitalismo clientelista  em grande escala,
  • enriquecendo uma nova classe de oligarcas.
  • Mas há pelo menos um pouco de populismo real – isto é, políticas que realmente oferecem alguns benefícios para os pequenos – no meio.

 

Em 2016, na campanha eleitoral,

  • Trump parecia ser um populista ao estilo europeu,
  • misturando racismo com apoio a programas sociais para beneficiar os brancos.
  • Ele até prometeu aumentar os impostos sobre os ricos, incluindo ele mesmo.

Desde que assumiu o cargo, no entanto,

  • tem favorecido incansavelmente os ricos
  • mais do que  os membros da classe trabalhadora,
  • independentemente da sua cor de pele.

O seu único grande sucesso legislativo, o corte de impostos de 2017, foi uma grande ajuda para as corporações e os empresários; o punhado de migalhas jogadas às famílias comuns era tão pequeno que a maioria das pessoas acredita que não conseguiu absolutamente nada.

 

Ao mesmo tempo, ele

  • continua tentando destruir as principais disposições do Obamacare – como a proteção para doenças pré-existentes, os subsídios ‘premium’ e a expansão do Medicaid –
  • apesar de essas provisões serem altamente populares
  • e terem  sido de enorme benefício para estados como Kentucky e West Virginia, onde a imensa maioria dos eleitores votou nele.

Como que para simbolizar para quem ele realmente está trabalhando, na quarta-feira, Trump dará uma Medalha Presidencial da Liberdade para Art Laffer, mais conhecido por insistir em que os cortes de impostos para os ricos se pagam por si mesmos. Esta é uma clássica ideia zumbi, que foi repetidamente desmentida por evidências, mas que continua arrastando os pés,  comendo os nossos cérebros, basicamente porque é interesse dos plutocratas manter a ideia em circulação.

E é aqui que está o problema:

  • os eleitores da classe trabalhadora branca parecem ter notado que Trump não está trabalhando para eles.
  • Uma nova pesquisa da Fox News revela que
  • apenas 5% dos brancos sem diploma universitário acreditam que as políticas econômicas de Trump beneficiam “pessoas como eu”,
  • em comparação com 45% que acreditam que os benefícios vão para “pessoas com mais dinheiro”.

 

Trump pode acreditar que pode compensar as suas pro-plutocráticas políticas fiscais e de saúde com tarifas, – o seu único desvio significativo da ortodoxia do Partido Republicano.  Mas,

  • apesar da insistência de Trump de que os estrangeiros é que pagarão as tarifas,
  • a esmagadora maioria dos brancos sem educação superior acredita que serão que eles acabarão pagando mais pelas coisas que compram.

Ah, alguém se lembra das promessas de Trump dizendo que traria de volta o carvão?  O seu próprio Departamento de Energia projeta que a produção de carvão no próximo ano será 17 por cento menor do que em 2017.

 

Agora, isto não significa necessariamente que haverá deserções em larga escala por parte dos amados de Trump, “com pouca educação”. Por outro lado,

  • a assistência à saúde – onde a sua traição às promessas passadas foi especialmente óbvia –
  • parece ter desempenhado um papel importante  na vitória  dos Democratas nas eleições intermediárias .
  • E ele está certamente mais vulnerável do que estaria caso se envolvesse mesmo que só um pouquinho com o populismo real. Por que não?

 

Parte da resposta pode ser pessoal: toda a carreira de Trump mostrou que ele é o tipo de homem que, quando muito, sente prazer em se aproveitar das pessoas que confiam nele.

Além disso, no entanto, apesar de toda a conversa sobre como “é o partido de Trump agora”, ele ainda precisa do apoio dos interesses dos milionários do Partido Republicano. Por enquanto, o ‘establishment’ do partido está feliz em encobrir

  • a corrupção do governo,
  • a proximidade de Putin e tudo o mais.

Mas isso pode mudar. Se Trump alguma vez fizer algo que possa prejudicar os ricos ou ajudar os pobres, muitos republicanos podem de repente descobrir que

  • atuar em benefício próprio
  • e aceitar ajuda de potências estrangeiras hostis
  • são coisas realmente más.

 

Quaisquer que sejam as razões, o fato é simplesmente que Trump não é populista, a menos que redefinamos o populismo como nada mais que sinônimo de racismo. Pelo menos algumas pessoas da classe trabalhadora branca parecem ter percebido que ele não está do lado deles. E os democratas seriam tolos para não aproveitar ao máximo essa brecha.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

Paul Krugman

 

Paul Krugman

tem sido colunista de opinião desde 2000 e também é ilustre professor no Centro de Pós-Graduação da Universidade da Cidade de Nova York. Ele ganhou o Prêmio Nobel de 2008 em Ciências Econômicas pelo seu trabalho em comércio internacional e geografia econômica. @ PaulKrugman

https://www.nytimes.com/2019/06/17/opinion/trump-populist.html

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>