Kasper: “Se os bispos pedissem padres casados o Papa o aceitaria”

 

El cardenal Walter Kasper

Religión Digital – 04.06.2019

Foto: O cardeal Walter Kasper – Tradução: Orlando Almeida

O presidente emérito do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos descarta a ordenação de mulheres, mas recorda que hoje as mulheres “fazem dez vezes mais na Igreja do que faziam as diaconisas”.

Critica as greves eucarísticas como a da campanha “María 2.0”, mas defende que se reconheçam e se tornem mais visíveis as contribuições das mulheres, sem as quais a Igreja “entraria em colapso amanhã”

 

O cardeal Walter Kasper ‘dá uma de cal, outra de areia’[diz uma a favor e outra contra]. O presidente emérito do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos descartou por completo a ordenação das mulheres, – porque ao adotá-la a Igreja se situaria fora de uma tradição milenária que reserva o sacerdócio apenas para os homens, – mas ao mesmo tempo abriu a porta para a ordenação dos homens casados.

“Com base no Novo Testamento, há uma tradição ininterrupta não só na Igreja Católica, mas em todas as igrejas do primeiro milênio, segundo a qual a ordenação e consagração estão reservadas apenas aos homens“,

disse Kasper ao jornal Frankfurter Rundschau, segundo registrado pelo ‘site’ dos bispos alemães, katholisch.de.

Mas embora haja “pouco movimento atualmente” em relação ao diaconato feminino – depois que o papa Francisco freou a ideia, no voo de regresso da sua recente viagem à Bulgária e à Macedônia do Norte – ainda há coisas que a Igreja pode fazer e deve fazer para reconhecer a contribuição das mulheres, sem a qual qualquer diocese ou paróquiaentraria em colapso amanhã“, enfatizou Kasper.

Walter Kasper

Walter Kasper

 

“Eu acho mais importante que hoje as mulheres – assistentes pastorais e ministras, ministras da eucaristia e professoras, na Cáritas e na catequese, na teologia e na administração – façam agora dez vezes mais do que faziam as diaconisas”, observou o cardeal alemão, que considerou “importante” que se visibilize este serviço e que seja reconhecido publicamente.

A Igreja deve responder às demandas legítimas das mulheres por mais protagonismo e “dar os passos possíveis o mais rapidamente que se possa” às suas demandas, sustentou, enfatizando, por outro lado, que a solução não passa por greves eucarísticas como a da campanha “María 2.0“, cujas organizadoras foram criticadas pelo cardeal por “instrumentalizarem a Bem-aventurada Virgem Maria”.

 

“O celibato não é um dogma”

Embora, deste modo, Kasper tenha jogado água fria sobre a possibilidade de a Igreja ordenar as mulheres, não fez o mesmo com relação à ordenação dos homens casados. Precisamente porque

  • o celibato obrigatório, ao contrário do sacerdócio masculino,
  • é uma mera disciplina que Igreja adotou,
  • que o Papa pode alterar, e isso talvez logo depois do Sínodo para a Amazônia, em outubro deste ano.

“Se os bispos concordarem, por consentimento mútuo, em ordenar homens casados – os chamados  viri probati – no meu entender, o Papa o aceitaria“, explicou Kasper, uma vez queo celibato… não é um dogma, não é uma prática inalterável“.

“Estou pessoalmente sou muito a favor de manter o celibato como modo de vida obrigatório com um compromisso integral à causa de Jesus Cristo, mas isso não exclui que um homem casado possa desempenhar um serviço sacerdotal em situações especiais”, 

concluiu o cardeal.

Kasper, con Francisco

Kasper com Francisco

 

Religión Digital

Fonte: https://www.religiondigital.org/mundo/Kasper-obispos-pidieran-curas-casados-Papa_0_2127987202.html

 

1 comment to Kasper: “Se os bispos pedissem padres casados o Papa o aceitaria”

  • osvaldo costa

    A questão é que os bispos não vão pedir…a não ser que se casem também.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>