Olavo de Carvalho chama Mourão de “idiota” e diz que governo “vai mal”

Para o escritor, Bolsonaro está rodeado de traidores. Se nada mudar, ele acredita, governo pode acabar em seis meses . Bolsonaro foi eleito porque representava um “mal menor” do que Fernando Haddad, que concorreu à presidência pelo PT em 2018

Foto: Olavo de Carvallho  / Reprodução/Facebook
Às 18 horas de sábado (16/3), uma das salas do Trump Hotel, em Washington, começou a receber convidados para o evento prévio à chegada de Jair Bolsonaro. A recepção, uma homenagem ao escritor conservador Olavo de Carvalho, foi organizada pelo ex-estrategista de Trump e agitador de movimentos populistas de direita Steve Bannon.
O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) se antecipou à comitiva presidencial para participar do evento, que concentrou críticas à imprensa e aos “traidores” que cercam o presidente.

 

 

Questionado se estava otimista com o Brasil, Olavo de Carvalho afirmou:

“Não, não, não. Vou ser sincero. Eu amo esse cara, o Bolsonaro. Mas ele está rodeado de traidores, eu não confio em praticamente ninguém no governo exceto nele”,

disse Olavo, que estará com Bolsonaro neste domingo (17/3), em jantar na residência do embaixador do Brasil nos EUA. Depois do evento, a jornalistas, Olavo chamou o vice-presidente Hamilton Mourão de “um cara idiota”.

“O presidente viaja e qual a primeira coisa que ele faz? Viaja a São Paulo para um encontro político com Doria. Esse cara não tem ideia do que é vice-presidência. Durante a viagem, ele tem que ficar em Brasília”, afirmou Olavo.

Ele disse que Mourão, desde a posse, mudou de lado e é “pró-aborto, pró-desarmamento e pró-Nicolás Maduro”.

Ao dizer que Jair Bolsonaro está “de mãos amarradas”, Olavo de Carvalho afirmou que a situação do governo vai mal.

“Se tudo continuar como está, já está mal. Não precisa mudar nada para ficar mal, é só continuar isso mais seis meses e acabou”, disse o filósofo a jornalistas após evento em Washington, organizado por Steve Bannon.

Ele aponta como problema a mídia e os conselheiros do presidente Olavo afirma que a mídia tenta dar um “golpe de estado” e publica “mentiras” contra o presidente. Segundo ele, o presidente não leva as questões para a justiça porque os militares no governo não deixam.

  • “Ele não reage porque aquele bando de milico que o cerca é tudo um bando de cagão, que tem medo da mídia. Por que eles têm medo da mídia? Porque quando terminou a ditadura militar, eles viram que estavam todos queimados com a mídia, foram para casa e decidiram agora fazer o papel de bonzinho.
  • O que o Bolsonaro tem a ver com isso? Nada”, disse Olavo.”É um homem sozinho, não pode confiar nos que o cercam, não pode confiar na mídia.”

Críticas à imprensa permearam todo o evento. Olavo disse que

  • os jornalistas fazem parte de uma elite intelectual
  • e que os formadores de opinião estrangeiros precisam buscar outras formas de ter informação sobre o País, que não via imprensa.

Ao falar sobre a imagem de Bolsonaro no mundo – criticada de veículos estrangeiros por posições consideradas racistas e preconceituosas –, Olavo afirmou que

“a imagem é um mito criado pelos jornalistas”. “Os jornalistas brasileiros são, a maioria, viciados em drogas. Não estou exagerando”, afirmou.

Eduardo Bolsonaro também

  • criticou a imprensa e disse que “as pessoas não acreditam mais na mainstream media”,
  • dizendo que canais alternativos de apoio ao governo têm mais engajamento nas redes sociais do que o dos jornais tradicionais.
  • “Isso é poder, o poder está conosco agora”, disse Eduardo.

O evento reuniu cerca de 60 pessoas em uma sala do Trump Hotel, reduto de republicanos, entre americanos e brasileiros. Diplomatas da embaixada do Brasil em Washington estiveram presentes, entre eles Nestor Forster, cotado para assumir o posto de embaixador nos EUA. Ex-embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon era um dos convidados presentes.

A aproximação do clã Bolsonaro com Bannon incomoda parte da Casa Branca. O ex-estrategista de Trump foi demitido em 2017 e já foi chamado de traidor pelo próprio Trump. Nos EUA, parte do governo americano vê com maus olhos a proximidade entre o filho de Bolsonaro e Bannon – que também foi convidado para o jantar com o presidente. O evento de sábado foi uma exibição do filme Jardim das Aflições, de Josias Teófilo, sobre Olavo de Carvalho

 

Ideologia 

Na apresentação do evento,

  • Gerald Brant, integrante do mercado financeiro
  • responsável por unir Steve Bannon à família Bolsonaro e a Olavo de Carvalho,
  • disse que o evento e a chegada de Bolsonaro à presidência
  • eram um sinal de que o movimento conservador conseguiu chegar longe no Brasil.

Olavo, contudo, disse que Bolsonaro não tem ideologia. Olavo de Carvalho disse que

  • Bolsonaro foi eleito porque representava um “mal menor” do que Fernando Haddad, que concorreu à presidência pelo PT em 2018.
  • “Por isso que ele foi eleito, não por causa de suas ideias políticas que até hoje não sei quais são.
  • Eu já vi Bolsonaro dar opinião sobre um assunto ou outro,
  • mas nunca vi ele dar uma concepção geral, uma ideologia.
  • Você pode acusá-lo de que as ideias dele são incoerentes, mas essa é a maior prova de que ele não tem ideologia nenhuma”,l,l,mlçk,muuuuuuu aplausos tímidos.

Bannon e Olavo de Carvalho se conheceram em janeiro e, agora, o americano disse querer levar o pensamento de Olavo ao mundo e computa ao filósofo a ascensão de Bolsonaro.

“Ideias têm consequências. Uma das consequências das ideias do professor Olavo é o capitão Bolsonaro”, afirmou Bannon.

 

Agência Estado

Fonte:  https://www.metropoles.com/brasil/politica-br/olavo-de-carvalho-chama-mourao-de-idiota-e-diz-que-governo-vai-mal

 

MAIS SOBRE O ASSUNTO:

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>