Fé cristã e eleições 2018: em quem Jesus não votaria?

 

Gilvander Moreira – 03 Outubro 2018

Foto: Jesus Cristo –  IHU / Pixabay

“Enfim, Jesus de Nazaré não votaria em candidatos que usam em vão o nome do Deus da Vida e nem em candidatos que representam os interesses do capital”,

escreve Gilvander Luís Moreira, Frei e padre da Ordem dos carmelitas.

Frei Gilvander é mestre em Exegese Bíblica pelo Pontifício Instituto Bíblica, de Roma; é professor de Teologia Bíblica; assessor da Comissão Pastoral da Terra – CPT -, assessor do Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos – CEBI -, assessor do Serviço de Animação Bíblica – SAB – e da Via Campesina em Minas Gerais.

Eis o artigo

“Eta, espinheira danada 
Que o pobre atravessa pra sobreviver
Vive com a carga nas costas
E as dores que sente não pode dizer…” (Música Espinheira, de Duduca e Dalvan).

crise plural pela qual passa o povo brasileiro e mundial é gravíssima:

  • crise econômica,
  • política,
  • ecológica,
  • social,
  • crise das instituições etc.

Ingenuamente pessoas acreditam que votar corretamente é o caminho para superar as injustiças. Pode ser um caminho, mas não o caminho, pois “entra ano e sai ano e o tal de fulano ainda é pior…”, cantam Duduca e Dalvan. Dentro dos ditames do sistema capitalistaeleições garantem apenas fachada de democracia em sistemas opressores.

Correto

  • é investir apenas 5% do nosso tempo, sabedoria e energia em eleições para elegermos os/as melhores candidatos/as
  • e dedicar 95% do nosso tempo, sabedoria e energia na luta por direitos humanos fundamentais para construirmos Política com P maiúsculo, que é luta pelo bem comum.

Justo seria se o voto fosse facultativo e votasse quem quisesse e tivesse acesso às principais informações para discernir quais são os/as melhores candidatos/as. Fato é que Eleição não é o que garante democracia econômica, social e política. O voto vale muito pouco.

Se voto tivesse valor, não teria acontecido golpe parlamentar, jurídico e midiático contra e ex-presidenta Dilma Rousseff, sem ela ter cometido crime de responsabilidade. Alegando que iriam diminuir o desemprego, a maioria dos deputados federais e senadores

  • ignoraram 54 milhões de votos
  • e destituíram uma presidenta eleita pela vontade da maioria do povo brasileiro,
  • abrindo as comportas para vários cortes em direitos fundamentais/sociais
  • e rasgando a Constituição.

Há vários mitos e mentiras circulando agora em tempo de campanha eleitoral.

O Brasil não é uma empresa e nem um quartel. Logo,

  • eleição presidencial não é para escolher o melhor coronel/capitão
  • e nem para escolher o melhor administrador de empresa.

Brasil é um país com 206 milhões de habitantes, um território de 9,5 milhões de quilômetros quadrados e com biomas – CerradoMata AtlânticaAmazôniaPantanalCaatinga e Pampa –profundamente devastados pelo agronegócio que, por meio de

  • monoculturas,
  • uso exagerado de agrotóxico
  • e produção de alimentos transgênicos,

está causando a maior devastação socioambiental da história. Pesquisas científicas apontam que o uso de agrotóxicos na agricultura do agronegócio está causando câncer em mais de 600 mil pessoas a cada ano no Brasil.

latifúndio continua sendo a coluna mestra do capitalismo brasileiro, que é uma máquina de moer vidas humanas e de toda a biodiversidade. As áreas urbanas, por sua vez, consolidam os modelos de desigualdade social,

  • onde a população empurrada para a periferia
  • não tem acesso a uma política habitacional,
  • saneamento básico,
  • saúde
  • e transporte digno.

violência social campeia com mais de 70 mil jovens sendo assassinados anualmente. Diante desse cenário, seja em área rural ou urbana,

  • uma cortina de fumaça está sendo insuflada diante do povo
  • que está sendo cegado e impedido de discernir quais são os/as candidatos/as éticos/as
  • e que de fato serão representantes do povo nos poderes executivo e Legislativo, em âmbito federal e estadual.

As causas principais da violência social que se abate sobre o povo brasileiro, a Mãe Terra, as águas e todos os seres vivos estão no capitalismo, sob o modelo de agronegócio e a superexploração dos bens naturais que é imposta pelas empresas transnacionais e pelo capital financeiro e especulativo, principalmente.

Predomina aqui o racismo ambiental sob a manutenção da condição de colonialismo que atinge trabalhadores e trabalhadoras ruraisindígenasquilombolas e outros tipos de povos tradicionais, em regra os mais penalizados. Ainda importante lembrar que

  • nos últimos 20 anos
  • aproximadamente 50 mil trabalhadores se encontravam em situação análoga à escravidão,
  • sendo que esta estimativa deve ser bem superior,

estando a maioria envolvida escravizada nos setores de

  • extração mineral, construção civil,
  • agronegócio
  • e confecção de roupas e tecelagem, esta última, que serve a famosas grifes de moda e de redes de varejistas.

Não podemos esquecer que a sociedade brasileira é uma sociedade de classes, organizada para reproduzir a desigualdade social. Há a classe dominante detentora dos meios de produção – terra, empresas, indústrias, fábricas, grandes comércios e capital financeiro especulativo – subjugando a classe trabalhadora e a classe camponesa. Ou seja, opressão de classe e luta de classes são características básicas das relações sociais capitalistas.

Não se deve dar crédito aos candidatos que repetem à exaustão a cantilena: “Temos que gerar emprego e para isso precisamos atrair investidores internacionais com capital internacional. Para isso temos que reduzir o Estado, promover austeridade fiscal e promover competitividade.”

Candidatos e partidos que fazem esse tipo de discurso/propaganda na prática estão dizendo “bem-vindas empresas transnacionais. O Brasil está aqui para ser sugado e surrupiado. E o povo resignado aceitará nova colonização.

Quem promove isso não ama o povo brasileiro.

No Bloco de centro-direita estão os candidatos

São candidatos do grande empresariado e que representarão os interesses do capital nacional e internacional. Jamais irão governar para o povo e nunca com o povo. Serão sempre subservientes aos interesses imperiais dos Estados Unidos e continuarão

  • privatizando as empresas estatais,
  • a mãe terra,
  • as águas,
  • reduzindo o povo à miséria
  • e desertificando nosso território.

Esses candidatos

  • não falam nada sobre necessidade de políticas de preservação ambiental
  • e nem de se fazer Reforma Agrária Popular.

Ao contrário, prometem fortalecer

  • agronegócio,
  • as mineradoras
  • e até impedir a demarcação de terras dos povos indígenas e quilombolas.

Isso é injustiça que clama aos céus!

Na extrema-direita, Jair Bolsonaro é o pior candidato a presidente, porque ele

  • discrimina as mulheres,
  • os indígenas,
  • os quilombolas,
  • as domésticas,
  • os homossexuais,
  • os pobres.

Bolsonaro

  • defende torturadores e a tortura.
  • Ele usa em vão o nome de Deus, pois semeia ódio no tecido social;
  • em vez de colocar livros nas mãos das pessoas, quer liberar o mercado de armas no Brasil.

Em 30 anos como deputado, Bolsonaro não contribuiu para melhorar nem a segurança pública no estado do Rio de janeiro. Se eleito, ele será como Trump no Brasil: autoritário e repressor. O ético é pôr nas mãos das pessoas livros e não armas.

  • Ele recebe auxílio moradia sem precisar,
  • usa funcionária do congresso para cuidar da mansão dele no estado do RJ.

Ele quer privatizar tudo, ou seja,

  • entregar o povo brasileiro,
  • a Mãe Terra,
  • as águas,
  • tudo para multinacionais.
  • Disse que os povos indígenas não merecem “nem um centímetro de terra”.

É uma grande contradição ser pessoa cristã e apoiar quem quer semear violência na sociedade, distribuir armas e autorizar policiais a matar. O povo brasileiro não merece entrar novamente em outra ditadura. O filho dele, Carlos Bolsonaro, também deverá ser julgado por defender a tortura.

Grave também é

  • lideranças religiosas,
  • sejam padres ou pastores,
  • induzirem os fiéis a votarem em Bolsonaro
  • só por causa do seu discurso enganoso que diz “Deus acima de tudo e defensor da família e da moral tradicional”.

Ele mesmo já passou por vários casamentos e apresenta propostas antagônicas com a fé cristã:

  • armar as pessoas,
  • ensinar crianças a atirar,
  • dizer que a polícia tem que ser autorizada a poder matar,
  • etc..

 

No bloco de centro-esquerda estão 

  • a candidata Marina Silva (REDE)
  • e os candidatos Ciro Gomes (PDT),
  • Haddad (PT),
  • Guilherme Boulos (PSOL)
  • Vera Lúcia(PSTU).

Para a classe trabalhadora e camponesa Guilherme Boulos é o melhor, pois está umbilicalmente ligado aos movimentos sociais populares, sendo Boulos do MTST e tendo como co-presidenta Sônia Guajajara, liderança indígena profundamente comprometida com a defesa da Mãe Terra, da Irmã Água e da família mais tradicional do Brasil: a indígena.

Eis uma dica:

  • no 1º turno, votar no melhor
  • e no 2º turno impedir a eleição do pior.

Ético e cristão é votarmos em candidatos não capitalistas, à esquerda, e jamais em candidatos de centro ou de direita. Votar em quem defende a classe trabalhadora e a classe camponesa.

De 2003 a 2015, sob o Governo do PT

  • o salário mínimo teve aumento real,
  • 16 universidades federais e 422 Institutos Federais foram construídos,
  • além de várias políticas públicas de respeito aos direitos humanos fundamentais.

Conquistas sociais que nenhum outro partido fez. Não podemos aventurar por no volante do Brasil

  • quem insufla políticas repressoras, que são falsos remédios para injustiças sociais
  • e, pior, até acena no rumo de uma nova ditadura.

A quem não sabe o que é Ditadura Militar-civil-empresarial sugiro ler o livro Brasil Nunca Mais e assistir ao Filme Batismo de Sangue.

Enfim, o povo trabalhador e camponês não deve votar em

Sugerimos:

Não votar nos deputados federais e senadores que foram a favor da

  • PEC da Morte(congelamento por 20 anos dos investimentos em políticas públicas,
  • Emenda Constitucional nº 95/2016) (veja aqui e aqui),
  • à Terceirização
  • e à Reforma Trabalhista (veja aqui e aqui).

Não votar em candidatos que

  • ataquem os Direitos Humanos
  • e defendam o “uso das armas” como solução para os problemas sociais (veja aqui).

 

Como discípulos/as de Jesus Cristo, devemos

  • primar pela busca da paz como fruto da justiça socialagrária e ambiental;
  • ter o amor e o respeito ao diferente como princípio da convivência social;
  • diante das injustiças sociais, cultivarmos sempre Opção pelos injustiçados como Opção de Classe trabalhadora.

É muito importante e fundamental estarmos cientes de que a superação das injustiças passa sempre por educação e cultura popular, a partir dos de baixo. Se as eleições não nos motivam pela politicagem impregnada no sistema que as gerenciam, inspiremo-nos, porém, nas palavras do Papa Francisco e sigamos firmes na luta: “Não deixemos que nos roubem a esperança” (Evangelli Gaudium, 86).

Enfim, Jesus de Nazaré não votaria

  • em candidatos que usam em vão o nome do Deus da Vida
  • e nem em candidatos que representam os interesses do capital.

Arinos, MG, 1º/10/2018.

 

Resultado de imagem para Frei Gilvander Moreira

 

Frei Gilvander Moreira

Fonte: http://www.ihu.unisinos.br/583320-fe-crista-e-eleicoes-2018-em-quem-jesus-nao-votaria

 

Leia mais:

 

2 comments to Fé cristã e eleições 2018: em quem Jesus não votaria?

  • Beto

    Francamente, não entendo como vocês podem publicar este tipo de artigo que não tem nada a ver com a realidade, aliás confunde os leitores. O Lula, a Dilma e outros integrantes do PT já se manifestaram contra a democracia, dando suporte a países de ditadura como Venezuela. O Brasil adotou a democracia que o PT quer destroçar. O PT deveria ser proibido porque tem todos os ingredientes de uma organização criminosa e não é mais um partido. Um país se faz com o trabalho, de empresas fortes, de um povo esclarecido e sadio. Se os Freis, tanto ativos como Ex-freis ficam apoiando organizações criminosas, aí acredito que eles já deixaram de ser cristãos.
    Espero que não censurem novamente minhas observações contra o PT. Lembrete: por amor de Deus, olhem o que está acontecendo na Venezuela, na Nicarágua e outros países, onde os direitos humanos estão sendo pisados pelos mandatários amigos do Lula e do PT. Acorde Clero e Ex-Clero.

  • João Tavares

    Beto, qual é mesmo a tua escala de valores? Eu pensava que fossem os valores do Evangelho.
    Estás confundindo tudo. Que tem a ver a Venezuela e a Nicarágua com o Brasil real de hoje?
    Tu, quase 40 anos depois, ainda acreditas no espantalho, no bicho-papão do perigo do “comunismo que trucida e come criancinhas”?
    Ainda continuas com as “ideias” que permitiram a ”Marcha por Deus e pela Família” em 1964, que precedeu e “justificou” a sangrenta e covarde ditadura militar que desgraçou o Brasil durante mais de 20 anos?
    Tu e eu vivemos a ditadura e sabemos o que é. Ou tu não sabes?
    O cardeal Vicente Sherer, quando estive com ele em Porto Alegre em 1974, parece que também não sabia… E o cardeal Eugênio Salles, do Rio, parece que também não… E o cardeal Sodano, núncio no Chile, era amigão de Pinochet, o sanguinário, em nome do anticomunismo…
    É outra provável ditadura que desejas agora para o Brasil, em pleno século XXI?
    Não te apercebes que, mais uma vez, quando o Povo melhora de vida, o andar de cima não se conforma e dá um golpe, seja militar ou jurídico-parlamentar? E que, nesses golpes, quem está por trás é sempre o andar de cima, apoiado quase sempre pelo grande capital nacional e internacional, os bancos, as grandes mineradoras e os grandes oligopólios da Mídia, além da ação direta da Cia, como aconteceu em todas as ditaduras da América Latina na segunda metade do século XX?

    João Tavares

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>