O Papa Francisco com os bispos do Chile, em Maio deste ano, no Vaticano (foto reproduzida daqui)

 

Acto imediato, Francisco decidiu enviar ao país, em Fevereiro, dois investigadores maiores destas situações: o arcebispo de Malta, Charles Scicluna, que tem trabalhado em várias missões do Vaticano para a questão dos abusos, e o padre espanhol Jordi Bertomeu, com formação jurídica. Durante 12 dias, ambos ouviram

  • sobretudo as vítimas,
  • mas também acusados,
  • bispos das dioceses e outras pessoas relevantes

para averiguar as acusações e as queixas de encobrimento feitas a vários bispos — tendo, à cabeça, Juan Barros, bispo de Osorno desde 2015.