Mudança na Constituição torna Xi o líder mais poderoso desde Mao

Há alguma objeção à proposta?, perguntou-se no encerramento dos trabalhos do 19º Congresso. “Nenhuma!”, gritaram os mais de 2000 delegados, confirmando consagração do Presidente chinês.

Mais de dois mil delegados do Partido Comunista Chinês presentes no Grande Salão do Povo festejaram com aplausos a proposta para incorporar a “Filosofia de Xi Jinping sobre o Socialismo de Características Chinesas para uma Nova Era” no documento fundamental do partido – uma honra que não só consagra o seu pensamento político como consolida o seu poder, prevenindo qualquer desafio à sua liderança.

Como notava a editora da BBC para a China, Carrie Gracie, qualquer ameaça ao Presidente será interpretada, a partir de agora, como um risco existencial para o partido, por pôr em causa as regras e a disciplina da sua Constituição.

 “Por favor levantem o braço se tiverem alguma objecção à proposta”, pediu o Congresso. “Meiyou! Nenhuma!”, gritaram os delegados, aceitando assim

Seguro está apenas o primeiro-ministro, Li Keqiang; de resto, são esperadas cinco caras novas. Segundo os analistas, as escolhas de Xi serão um bom indicador das suas intenções de prolongar a sua liderança do partido para além de 2022 – ou pessoalmente, ou através de um sucessor.No poder desde 2012, os governos de Xi Jinping foram marcados pelo

  • desenvolvimento da economia
  • e expansão do peso e influência da China na arena mundial.

O país conheceu, sob a sua liderança, um impressionante crescimento económico que lhe permitiu modernizar

  • o aparelho produtivo,
  • as infraestruturas
  • e a vida nas cidades.

Pela vida do investimento, a China tornou-se, também, um importante actor político internacional. Mas ao mesmo tempo, os comentadores observam nos últimos anos

  • uma crescente tendência autoritária,
  • com violações dos direitos humanos
  • e das liberdades direitos cívicos.

Tal como enquadrado na Constituição, o pensamento político de Xi Jinping, leia-se a sua agenda políticaprogramática, assenta em 14 princípios básicos que

  • reforçam o poder do Estado
  • e consagram o papel e importância do Partido Comunista na condução da vida económica, social e política do país.

Algumas são ambiciosas mas vagas na sua formulação –  falar em

  • “novas ideias”
  • e “reformas profundas”
  • ou na “harmonia entre o homem e a natureza”

não explica nada de concreto – mas outras indicam bem o rumo que o Presidente pretende seguir, por exemplo quando defende

  • “a autoridade absoluta do Estado sobre o Exército do Povo”
  • ou a importância da reunificação na base do princípio de “um país, dois sistemas” aplicado a Hong Kong e Macau.

 

Rita Siza

 

Rita Siza

 

Fonte: https://www.publico.pt/2017/10/24/mundo/noticia/partido-comunista-chines-incorpora-pensamento-de-xi-jinping-na-constituicao-1790018

LEIA MAIS:

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>