Os conselheiros da Comissão papal sobre abuso sexual também vão tratar dos filhos dos padres

Nicole Winfield | AP 25/09

Foto: Alessandra Tarantino /AP

… a igreja tentou manter essas crianças em segredo durante séculos, por causa do escândalo de sacerdotes quebrando os seus votos de celibato. Mas ganhou visibilidade depois que os bispos irlandeses publicaram, no início deste ano, diretrizes objetivando garantir o bem-estar da criança e da mãe, que muitas vezes sofrem problemas psicológicos devido ao estigma e ao silêncio a eles impostos pela igreja.

Tradução: Orlando Almeida

CIDADE DO VATICANO – A comissão de conselheiros do Papa Francisco para a proteção de menores contra sacerdotes abusadores sexuais está aumentando a sua carga de trabalho para incluir as necessidades e os direitos das crianças geradas por padres católicos romanos.

Membros da Comissão disseram à Associated Press no domingo que um grupo de trabalho está buscando desenvolver diretrizes que possam ser usadas pelas dioceses de todo o mundo para garantir que as crianças filhas de sacerdotes sejam cuidadas adequadamente.

“É um problema horrendo em muitas culturas, e não é algo de que se possa falar facilmente” – disse o Dr. Krysten Winter-Green, membro da comissão.

De fato, a igreja tentou manter essas crianças em segredo durante séculos, por causa do escândalo de sacerdotes quebrando os seus votos de celibato.

Mas ganhou visibilidade depois que os bispos irlandeses publicaram, no início deste ano, diretrizes objetivando garantir o bem-estar da criança e da mãe, que muitas vezes sofrem problemas psicológicos devido ao estigma e ao silêncio a eles impostos pela igreja.

Acredita-se que as diretrizes dos bispos irlandeses representam a primeira política pública abrangente de uma conferência episcopal nacional sobre a questão.

Elas já se tornaram uma espécie de modelo:

  • a União dos Superiores Gerais – um grupo guarda-chuva de ordens religiosas masculinas – enviou as diretrizes irlandesas aos seus membros para serem aplicadas,
  • e espera-se que a União Internacional das Superioras Gerais, o grupo guarda-chuva feminino, as endosse numa assembleia em novembro – disse Vincent Doyle, um dos principais defensores desta política.

Mr Bill Kilgallon

O membro da comissão Bill Kilgallon (foto in: www.cathcom.org)  informou Francisco sobre a decisão do grupo de trabalho de tratar da questão dos filhos dos sacerdotes, durante uma audiência na semana passada.

Kilgallon disse à AP que a questão se enquadra claramente no amplo mandato da comissão, que é conhecida oficialmente como a “Pontifícia Comissão para a Proteção dos Menores” e tem como missão promover e proteger a dignidade de menores e adultos vulneráveis.

“Se alguém gera uma criança, tem uma responsabilidade para com essa criança, e ponto final” disse Kilgallon.

A questão foi colocada na agenda da igreja em grande parte devido a uma campanha de Doyle, um psicoterapeuta irlandês que descobriu já bastante tarde que o seu pai era um sacerdote.

Com o apoio do arcebispo de Dublin, Doyle lançou Coping International, um recurso de auto-ajuda online para

  • ajudar a eliminar o estigma que ele e outros como ele enfrentaram
  • e educar a eles e à igreja sobre os problemas emocionais e psicológicos que algumas crianças sofrem.

Entre eles podem incluir-se

  • depressão,
  • ansiedade
  • e outros problemas de saúde mental,
  • assim como isolamento social
  • e dificuldades financeiras.

A situação dos filhos dos sacerdotes também foi objeto de uma série recente publicada no jornal The Boston Globe.

O número de crianças que se sabe terem sido geradas por sacerdotes católicos não é conhecido,

  • mas existem cerca de 450 mil sacerdotes católicos no mundo
  • e a Igreja Católica proíbe a contracepção artificial e o aborto.

Doyle disse no domingo que ficou satisfeito por o problema estar agora na agenda da comissão de consultores do papa e disse que existe uma conexão muito real entre os filhos dos sacerdotes e as vítimas de abuso sexual: ele disse que

  • muitas das mães em questão foram estupradas quando meninas ou adolescentes por sacerdotes,
  • e portanto são elas próprias vítimas de abuso sexual.

“Nem sempre é “The Thorn Birds” [Pássaros Feridos] – disse Doyle referindo-se à clássica história do amor da jovem pelo padre da família.

“Na maioria das vezes, há estupro e pedofilia envolvidos”.

 

Pope Francis reacts to questions from Associated Press reporter Nicole Winfield about the September U.S. papal visit during a news conference aboard his flight from Manila, Philippines, to Rome Jan. 19. (CNS photo/Paul Haring)

 

Nicole Winfield

https://www.washingtonpost.com/national/religion/popes-sex-abuse-advisers-also-look-into-children-of-priests/2017/09/25/90ff9c72-a1a8-11e7-b573-8ec86cdfe1ed_story.html?utm_term=.87880976b850

 

 

 

Leia mais:

 

1 comment to Os conselheiros da Comissão papal sobre abuso sexual também vão tratar dos filhos dos padres

  • Irene Cacais

    O problema dos filhos dos Padres “ganhou visibilidade depois que os bispos irlandeses publicaram, no início deste ano, diretrizes objetivando garantir o bem-estar da criança e da mãe..” ????
    Na Alemanha publicaram já nos anos 1980 livros sobre estas crianças que foram geradas pelos sacerdotes….. com muitas testemunhas tanto das mães como dos filhos….

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>