Entre os Lençois Encantados do Maranhão, um mistério geológico ainda todo por descobrir.

 

Uma vasta extensão de dunas brancas, rios “móveis” e manguezais. Estamos no Brasil, no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses , onde a floresta amazônica (a autora, na rapidez da pesquisa, confundiu floresta amazônica com cerrado maranhense NdT) dá lugar a uma vasta extensão de areia branquíssima, intercalada de pequenas lagoas que mudam a cada hora de acordo com o vento.

Estamos falando sobre um mistério geológico descoberto só há 30 anos, que permaneceu desconhecido, apesar de que se estender por 270 quilômetros quadrados. Aqui, no estado do Maranhão, de fato, oceano e floresta estão separadas por uma faixa de “deserto” interrompida por dezenas de lagoas e riachos alimentados exclusivamente pelas chuvas tropicais.

 
Uma extensão de cintilante areia branca sempre sujeita ao vento, de forma a fazer os Lençóis Maranhenses se assemelharem a um lençol estendido para secar. Daí o curioso apelido de “Lençóis do Maranhão”.

Durante a estação seca, entre outubro e novembro, um vento implacável empurra a areia até 48 quilômetros de distância da costa, formando dunas de até 40 metros de altura. Mas nos Lençóis Maranhenses a areia se move continuamente e em algumas zonas, as dunas também podem avançar até vinte metros por ano. Depois, entre janeiro e Junho as chuvas enchem os vales formando novas lagoas que atingem 90 metros e três profundidades, criando esta impressionante paisagem.

 

VIDEO: CAMINHANDO NAS BRANCOS LENÇOIS MARANHENSES (clique aqui)

 

São exatamente as chuvas que garantem aos Lençóis uma característica única no mundo: a água das chuva forma entre as dunas de areia dezenas de espelhos de água doce. “Lagos”, como Lagoa Azul e Lagoa Bonita,as mais cobiçadas pelos turistas por sua beleza e balneabilidade. Mas as praias mais famosas na região são Ponta do Mangue, Moitas, Vassouras, Morro do Boi e Barra do Tatu. Mas, apesar de toda essa beleza, a recetividade turística da zona é limitada. O que faz destas dunas um paraíso ainda todo por descobrir.

 

A fim de proteger este ecossistema incrível, a entrada para a reserva natural é proibido a veículos a motor. Mas não é difícil encontrar passeios de ônibus autorizadas pelo Parque Natural, partindo de Fortaleza, onde se encontra o aeroporto internacional. Em 2002, foi aberta uma estrada asfaltada que liga São Luis, capital do Maranhão, a Barreirinhas, ponto de entrada para o parque.

 

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>