O CARNAVAL ESTÁ CHEGANDO

Alguns textos de Dom Helder que falam do carnaval

Geraldo Frencken em 21-02-2017

 “Meus queridos amigos, um dia, em nosso programa, comentaremos as Canções mais cantadas neste Carnaval de 1978. Há sempre Canções novas e é claro que algumas pegam e ficam… Há Canções que não são esquecidas nunca. As vezes, vêm, de longe, de Carnavais que já se foram… 

O Bal Masqué, salvo engano, abriu comMáscara Negra”, o que não quer dizer que houvesse mais de mil Palhaços no salão… 

Ninguém esquece a “ Ó Jardineira ”, “ Sassaricando e tantas outras músicas que atravessam os anos… Pode causar estranheza que, no meio de tanta gente, agrade tanto o Bloco da Solidão . É que ali, no meio da multidão, não falta quem se sinta só.

 

 “Angústia, solidão 

  um triste adeus em cada mão

  lá vai meu bloco, vai

  só deste jeito é que ele sai.

  Na frente sigo eu

  levo o estandarte de um amor

  amor que se perdeu no Carnaval…

  Lá vai meu bloco e lá vou eu também

  mais uma vez sem ter ninguém

  no sábado e domingo,

segunda e terça-feira

  e a 4ª feira vem

e o ano inteiro é todo assim…

  Por isso quando eu passar

  batam palmas pra mim!

  Aplaudam quem sorri

  Trazendo lágrimas no olhar,

  merece uma homenagem

  quem tem força pra cantar

  tão grande é a minha dor

  pede passagem quando sai comigo só,

  lá vai meu bloco vai…

Daqui bato palmas a todos os que, de modo aberto ou oculto, pertencem ao Bloco da Solidão, e sorriem trazendo lágrimas no olhar… Gosto muito do Porta Estandarte de Geraldo Vandré :

“Olha que a vida é tão linda

 e se perde em tristezas assim.

 Desce teu rancho cantando

 essa tua esperança sem fim.

 Deixa que a tua certeza

 se fala do Povo a canção

 pra que teu Povo cantando

 o teu canto não seja em vão.

               

 Eu vou levando minha vida, enfim,

 cantando e canto sim

 e não cantava se não fosse assim

 levando pra quem me ouvir

 certezas e esperanças

 pra trocar

 por dores e tristezas

 que, bem sei

 um dia que vem vindo

 e que eu vivo, pra cantar

 na avenida girando

 estandarte na mão pra anunciar!

Ah se eu pudesse! O meu Povo não precisaria esfalfar-se nos 3 dias de Carnaval!

Virá o dia em que a alegria do Povo não será ilusória e passageira como serpentina e confete.

Virá o dia em que não será mais preciso dizer:

“Tristeza não tem fim

felicidade, sim”.

A tristeza acabará…

 

Dom Helder Camara,

dia 3 de fevereiro de 1978

Texto publicado no http://institutodomhelder.blogspot.com.br/

Postado por Geraldo Frencken em 21-02-2017

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>