Gilmar agora se incomoda com vazamentos, antes não

 Carlos Humberto/SCO/STF : <p>gilmar mendes</p>Por Chico Vigilante- Brasil 247 – 09.06.2016

“Ninguém viu Gilmar criticar a decisão de Moro de tornar público os grampos com diálogos de Dilma Rousseff e do ministro Jaques Wagner com Lula. E a maneira como o conteúdo foi utilizado pela imprensa e seus resultados certamente não desagradaram o ministro do STF.”

 Gilmar Mendes, ministro do STF, está indignado com o vazamento para a imprensa de possíveis mandatos de prisão de quatro caciques do PMDB. Esbravejou e vociferou como é de seu estilo. Disse que o responsável está cometendo crime.

Interessante. Gilmar Mendes nunca se indignou com todos aqueles vazamentos ocorridos desde 2014 na Operação Lava Jato. Nunca ninguém o viu dizer que eram ilegais, que corriam em segredo de Justiça, que colocavam em risco o andamento das investigações.

Ninguém viu Gilmar incomodado com o vazamento para a imprensa de que o ex-presidente Lula seria levado coercitivamente a depor em São Paulo, mesmo jamais tendo se negado a prestar esclarecimentos à Justiça sobre qualquer questão.

E bem cedo lá estavam os repórteres da Globo de plantão na frente do prédio quando Lula foi levado, e os brasileiros ouviram durante dias nos horários nobres, exaustivamente a mesma notícia, apesar de nada de novo ter sido apurado.

Ninguém viu Gilmar criticar a decisão de Moro de tornar público os grampos com diálogos de Dilma Rousseff e do ministro Jaques Wagner com Lula. E a maneira como o conteúdo foi utilizado pela imprensa e seus resultados certamente não desagradaram o ministro do STF.

Eu poderia citar aqui inúmeras ocasiões em que vazamentos contribuíram para botar lenha na fogueira do processo de impeachment, e na infame campanha de desmoralização de Dilma, Lula e do PT.

O que importa neste momento esclarecer, no entanto, é por que antes não, mas agora sim, Gilmar está tão indignado com o vazamento dos pedidos de prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros, do senador e ex-ministro Romero Jucá, do presidente afastado da Câmara Eduardo Cunha e do ex-presidente da República José Sarney?

Gilmar não atacou diretamente o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que segundo O Globo e o Estadão enviou os pedidos ao STF há uma ou duas semanas. Indagado pela imprensa, Janot foi curto e grosso: não confirmo nada.

Gilmar qualificou o vazamento como “brincadeira” e “abuso de autoridade” com o STF, e alfinetou: “é preciso ter muito cuidado com isso, é processo oculto, pede-se sigilo, e quem estiver fazendo isso está cometendo crime”.

Vazamento de processo ou inquérito que corre em segredo de Justiça é procedimento ilegal, sim. Todos eles, não apenas os que se referem a políticos do círculo de influência de ministros do STF.

Portanto Gilmar Mendes deveria

  • ter a postura de um ministro da Suprema Corte de um país sério e democrático,
  • ser ético e imparcial,
  • defender a todos sem lado e sem preferências, como se brasileiros, irmãos e iguais fossem.

 

 Colunista
 * Chico Vigilante
 Deputado distrital e presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Legislativa do DF

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>