O capitalismo é imoral

Vivemos em um mundo no qual 7 bilhões de pessoas dependem do petróleo. Existe petróleo em quase todas as coisas que usamos – plásticos, resinas, nylon, algodão, poliéster, jeans, joias, carros, aviões, cosméticos, protetores solares etc etc etc – e nas coisas que comemos, porque ele é também usado nos mais variados adubos. É realmente muito difícil olhar em volta e não ver alguma coisa que dependa do petróleo para existir e ser consumida.

Vamos deixar de lado o fato de o petróleo ser um bem escasso, extraído através de um estupro à natureza, e tentar entender a parte econômica da situação.

Uma dúzia de corporações – se tanto – controlam o petróleo no mundo: extração, distribuição, cotação.

Essas corporações são administradas por um corpo diretor de, no máximo, 20 homens (brancos, se posso chutar). São eles que decidem o destino de um bem escasso do qual 7 bilhões de pessoas dependem.

Numa conta burra, somos reféns da vontade de 200 homens brancos que estão onde estão porque, acima de qualquer coisa, sabem gerar lucro para eles mesmos e os acionistas de suas empresas – e às custas de nossa dependência.

Não é exagero dizer que somos viciados em uma droga que é controlada apenas essas duas dezenas de homens.

Em que situação se encontram as 7 bilhões de pessoas hoje? Algumas estão muito bem.

Existem, segundo a Forbes, 1.826 bilionários no mundo (eram 322 no ano 2000). Sessenta e sete desses bilionários são os felizes proprietários de metade da riqueza do mundo.

Vou escrever outra vez para que não achem que foi um erro de digitação: 67 bilionários têm a mesma riqueza de 3.5 bilhões de seres humanos.

A previsão é que, se nada mudar, em 2100 nosso planeta abrigue 11 trilionários. Onze.

Vamos para o outro extremo.

Um bilhão de pessoas vive com menos de dois dólares por dia. Em 2050 seremos 10 bilhões de almas nesse planeta, sabe-se lá quantos de nós na mais completa miséria já que, por essa época, 11 pessoas concentrarão em suas mãos mais da metade da riqueza do mundo.

 

 

O que nos trouxe até aqui? Um sistema econômico feito da promíscua parceria entre governos e corporações, que não se importa em explorar a natureza e seres-humanos em nome do lucro máximo e a curto prazo.

Hoje, o “deus-mercado” tudo pode. Compra-se desde uma cela melhor em algumas prisões (por U$ 82 por noite em Santa Ana, Califórnia), o direito de imigrar para os Estados Unidos (por U$ 500 mil), o direito de atirar em um rinoceronte negro (por U$ 150 mil) e o número do celular de um médico (por U$ 1500 por ano).

“Mercados se desconectaram da moral e precisamos reconectá-los”, escreveu o professor de filosofia Michael Sandel. E foi, aliás, de seu livro – “What Money Can’t Buy” (O Que o Dinheiro Não Pode Comprar) – que tirei todos esses exemplos.

É hora de entendermos a extensão da imoralidade do sistema que nos embala.

Não se trata de pregar o comunismo ou o socialismo porque não sabemos o que pode substituir o capitalismo, mas de perceber que o que temos hoje está esgotando a possibilidade de uma vida minimamente decente sobre a Terra.

Se nada mudar, acabaremos nos extinguindo; o que, na história do mundo, é apenas natural porque espécies nascem e morrem. O grande problema, acho, não é acabar com a vida humana – essa tão rica e cheia de possibilidades – mas acabar com a Terra. Somos, afinal, menos importante do que esse planeta tão exuberante. Existimos há 40 mil anos, e a Terra está onde está há 4 bilhões.

É hora de enxergar que o capitalismo é uma imoralidade. Um pouco de humildade para aceitar esse fato e buscar uma alternativa nos faria prevalecer, e, de quebra, deixar que o único planeta que, até onde sabemos, foi capaz de gerar vida continue a existir.

 

milly

Milly Lacombe

Fonte: http://blogdamilly.com/2015/07/08/o-capitalismo-e-imoral/

 

LEIA MAIS:

 

5 comments to O capitalismo é imoral

  • Marcelo

    Colocaram uma imagem da consequência da falta de capitalismo. Onde se vê esse tipo de imagem é justamente em países mais socialistas. Capitalismo tira pessoas da miséria, que é o estado natural do ser humano, dizer que acumular riquezas é imoral é discurso de ditador socialista pra alcançar o poder, um disparate ridículo. Ta incomodado com a situação da imagem, lute por mais capitalismo porque tenha certeza que aquele indivíduo não pode vender bala na rua pq o estado socialista proíbe, não pode trabalhar pra alguém por menos de um salário mínimo porque o estado socialista o obriga a assinar a carteira, não pode adquirir um produto por menores preços porque o estado proíbe a livre concorrência e ainda poe impostos pra que tudo fique mais caro (em prol de um “serviço social”, mas sabemos que é pra encher os cofres dos políticos), ainda pra quebrar mais ainda as pernas dos indivíduos, o estado ainda cria leis anti-capitalistas que impedem a mão invisível do mercado promova a ordem espontânea. Primeiro se pergunte por que algumas pessoas não saem do estado natural do ser humano, depois imagine se é porque ela está com as pernas e mãos amarradas graças ao estado socialista que tanto impede o mercado de operar livremente. Suíça manda abraços!

  • João Tavares

    Fico com dúvidas se isto é ignorância crassa da Questão Social, ou se é má fé. E Marcelo continua com a confusão, esta sim fruto de grande ignorância da história dos últimos 60 anos, de Socialismo com Comunismo.
    Governos Socialistas e governos de Centro e de Direita têm se alternado na Europa de 1950 para cá, com bons resultados para o povo das várias nações. Portugal acaba de escolher, pela segunda vez, um governo socialista. Depois, falar que a miséria é o estado natural da natureza humana, é sinal de que Marcelo pensa que Deus ou o ACASO fizeram o mundo para a elite e que a maioria está destinada, por natureza, a servir de escravos para a minoria.

  • Beto

    João, a história demonstrou e ainda está demonstrando que o socialismo e principalmente o comunismo são desgraças, empobrecem as pessoas, destroem a sociedade. Está esquecendo como foi a União soviética, Cuba, Coreia do Norte, Venezuela? Até China já abraçou o capitalismo. Pois para adquirir capital é preciso trabalhar, empreender, dedicar-se,o que gera riquezas, ao passo que o socialismo é encostar-se nos outro, aproveitar-se do suor do outro, fazendo do outro um trouxa. O melhor exemplo tínhamos aqui no Brasil no governo PTista que deitava e rolava. Graças a Deus esta turminha está sumindo aos poucos. Afinal o PT não tem nada de social, apenas sacanagem em todos os sentidos. Olha o atual ministério do Governo Bolsonaro. Não é de encher os olhos? Trabalham duro para bem do Brasil sem propina. Que eficiência espetacular. Só falta ainda melhorar o setor jurídico e o Congresso para levar o Brasil ao nível dos Estados Unidos,do Canadá, do Japão, de Singapura, da Alemanha ou da Suiça. Nesse países do 1º mundo não tem lixões.

  • João Tavares

    É, Beto. Cada um vê o que quer e cada um reza pela sua cartilha. Evidentemente, não concordo contigo, nem de longe…
    Tempos tristes e perigosos de radicalização ideológica e da Casa Grande pondo o povo brasileiro ” no seu lugar”, a Senzala.

  • Irene Cacais

    Marcelo e Beto, de onde vocês tiram esta sabedoria toda? do Whatsup, do Twitter, do Facebook? O que leio nos seus comentários são réplicas daquilo que aparece nestes meios de comunicação. Está na hora de se informar por fontes mais sérias. Que tal ler um livro? Que tal ler uns artigos e comentários internacionais?

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>