DARCY CORAZZA (1931-2015) – DESCANSA EM PAZ!

COMUNICADO AO PADRES CASADOS

Darci Corazzaaaaa

Caro João,

com pesar comunico que esta noite, na casa da filha, na Praia Grande, faleceu nosso amigo Pe. Darcy Corazza que,apesar de cego e doente, acompanhado pelo generoso casal Francisco e a saudosa Rosa, veio até nós brindar com sua palestra e nos lembrar que, como Cristo, fomos promovidos ao estado laical. O ano passado juntamente com o Pe.Gisberto, o bispo Dom Celso Queiroz e outros padres celibatários ou não, tivemos também em Brodowski para reunião informal fraternal, como anualmente acontece. Peço-lhe a gentileza  de comunicar a notícia  aos irmãos e especialmente ao Almir, cujo endereço não está aparecendo em meu PC neste momento.

 Muito agradeço com fraternais saudações.

Mario Palumbo

 

De Praia Grande, no litoral paulista, recebemos hoje a triste notícia do falecimento de nosso querido amigo e irmão de caminhada espiritual Darcy Corazza, que em fevereiro deste ano comemorou 84 venturosos anos de vida, muitos deles dedicados como sacerdote, incluindo o magistério na PUC-SP e assessoria ao cardeal Agnelo Rossi, depois como marido de D’Ávila e pai de Silvana e Gian Carlo, psicólogo clínico e ministro da Igreja, na paróquia do bairro Saúde, em São Paulo, tendo sido, também, um dos primeiros coordenadores da fraternidade secular do Irmão Carlos de Foucauld no Brasil, por indicação do Pe René Voillaume, e ainda membro ativo do movimento dos padres casados.

Corazza...1

Darcy Corazza, com família e amigos

 

Após perder a esposa e ao mesmo tempo perder também a visão, Corazza passou a morar no litoral com a filha Silvana, genro e duas netinhas, que lhe deram cuidados e muito amor, até que nesses últimos meses sua saúde foi se debilitando, principalmente por problemas cardíacos, vindo a falecer nesta madrugada em casa.

Homem de fé desde o berço em Salto, no interior paulista, Corazza deixa um grande legado aos seus familiares e amigos, quem desde a primeira hora, ainda seminarista diocesano, despertou para as mudanças que se faziam necessárias na Igreja antes do Concílio Vaticano II, acreditando e tomando como referência na vivência simples e atuação pastoral a opção pelos pobres e excluídos, o que foi reforçado quando conheceu a espiritualidade de Nazaré do Irmão Carlos de Foucauld e a oportunidade que teve de passar um tempo na França com os religiosos e leigos, em experiência de deserto.

Corazza teve também engajamento político, notadamente contra o regime militar instalado em 1964, quando lecionava na PUC, o que lhe custou perseguição, vinda de próprias autoridades eclesiásticas, que chegaram a denunciá-lo como “comunista”, fato desencadeador de sofrimento e depois do seu afastamento das funções de presbítero.

Corazza dando palestraDarcy Corazza dando palestra

Nenhum sofrimento, porém, até o fim dos seus dias, tirou-lhe a fé em Jesus de Nazaré, a paixão pelo Reino de Deus e a esperança da promessa, como também nenhum ressentimento ou mágoa guardou em seu coração bom e misericordioso.

Com esse espírito, os amigos – como a saudosa Rosa e marido Francisco Resende, Nena e Fábio França, Vânia e Moisés Villaça, Roberto e Gislene, Carlos e Lenita, Maurinho e esposa, Escada e Naná, Irz Francisco Pacheco, entre outros — guardam também dele as lembranças do seu acolhimento caloroso, colocando sua casa à disposição para encontros fraternos e alegres, regados a tira-gostos e um indispensável Lambrusco, que ele tanto apreciava.

O corpo de Corazza deve ser trasladado de Praia Grande para São Paulo e será velado e sepultado no Cemitério de São Pedro, defronte ao Crematório da Vila Alpina, na Zona Leste de São Paulo, a partir das 18.00 horas.

Descansa em Deus, caro amigo e irmão, e obrigado por sua presença e exemplos de vida e fé que deixou a todos que o conhecera!

(Aos familiares, nossa presença solidária e amiga, nesta hora dolorosa, não obstante nossa sólida fé na Ressurreição – NR, em nome da Diretoria do MFPC.)

 

Fonte: http://www.oraetlabora.com.br/novosite/page.php?name=abertura

10 comments to DARCY CORAZZA (1931-2015) – DESCANSA EM PAZ!

  • Francisco Resende

    Subject: Falecimento do Darcy Corazza – por quatro anos do Conselho Editorial do Jornal Rumos queijo e vinho”

    Hoje é um daqueles dias em que eu penso nos valores da vida e contemplo a morte como o momento do encontro com Cristo ressuscitado.
    Silvana, filha do Corazza, avisou-nos do falecimento de seu pai, às 2,00 horas. Lá em Praia Grande, litoral de S. Paulo. Últimamente estava morando com ela, já que cego e quase impossibilitado de morar sozinho.

    Eu ainda era teólogo camiliano quando soube da vibrante vida cristã do Corazza, então assistente da JUC. Ele era o homem de confiança do Cardeal Motta lá na PUCSP. Mais tarde, já padre, acompanhei seu sofrimento com o abandono a que foi relegada a ação católica pela atitude do Cardeal Rossi, que inclusive o obrigou a se esconder por muitos meses para escapar dos porões da ditadura.

    Em 1969, quando estava deixando o clero e fui estudar Serviço Social na PUCSP ele , já laicizado e casado com Ávila, foi meu professor de ética. Lembro-me bem que era um professor enérgico e brincalhão. Gostava de dizer para às alunas qe ali não era uma escola da Walita e que se deveria estudar e pesquisar.

    Alguns anos depois nós nos encontramos como editores do Jornal Rumos. Já estava com deficiência visual e Rosa mensalmente o buscaava para as reuniões do Conselho Editorial. Sua contribuição sempre foi muito ponderada e importante naqueles quatro anos. Mesmo depois que o Jornal foi entregue ao Giba, continuamos a nos reunir mensalmente em sua casa: era o ágape do queijo e vinho.

    Neste grupo estava algumas pessoas a mais, além daquelas do Conselho Editorial do JR. Cito: Felisbino e Léia (mãe do Ex Ministro da Saúde Padilha), Maurinho e Regina, Moisés Vilaça, Carlos Roberto e Lenita, Fábio França, eu e Rosa. Enquanto viva foi também lá esteve a esposa Ávila.
    Com a morte de Ávila, Corazza teve um baque muito grande.

    Mas ele continuou sempre fazendo parte da Paróquia da Saúde. Lá havia muitos padres seus amigos e alguns estrangeiros que tinham dificuldade em fazer a homilia. Não raramente era o Corazza que fazia a pregação nas missas dominicais. Ressalte-se, também, que quase todos os domingos os padres vinham almoçar em sua casa.

    Mantinha com a paróquia uma estreita relação e muita cooperação com os padres.
    Estando impossibilitado de se locomover, foi morar com a filha em Praia Grande, litoral paulista. O marido da filha é médico e sempre foi tratado com muito carinho.

    Corazza e Rosa eram psicólogos e muito se estimavam. Quando Rosa ainda era viva, mantivemos com ele um contato fora do reunião do “queijo e vinho”, quando nos confidenciou que havia doado seus livros para a Faculdade de Teologia do Ipiranga.
    Foi lá para ver os livros estavam e ficou muito triste ao constatar que estavam debaixo de uma escada. Foi a última mágoa com as instituições que dele ouvi.

    Ele era um teólogo que continuava estudioso da Teologia e seus livros lhe eram como filhos. Doou-os a uma faculdade de Teologia porque julgava que ali seriam úteis e não estava vendo isto. Então deixou escapar: antes tivesse doado para a paróquia.

    Amanhá às 9,00 horas irei acompanhar o sepultamento lá no cemitério S. Pedro, ao lado do crematório da Vila Alpina.
    Tenho certeza de Corazza combateu o bom combate, amou a Igreja e acima de tudo testemunhou o Cristo Ressuscitado, que já o recebeu na morada eterna.

  • Raimunda Shaeken

    Subject: Re: DARCY CORAZZA (1931-2015) – DESCANSA EM PAZ!

    Com muita tristeza nos solidarizamos com os familiares e amigos do MFPC pelo falecimento do padre Darcy Corazza; na ocasião lembrei-me muito da vida sem mágoa e rancor da nossa Igreja Católica, vivida pelo meu esposo, o saudoso Petrus Jacobus Schaeken que no próximo dia primeiro de junho completará três anos de seu encontro com o Pai. Esses homens corajosos, podem ser considerados santos; por terem sido fiéis a sua Igreja até a morte, conscientes de que poderiam ter trabalhado muito mais na evangelização como padres casados.
    Um grande abraço e contem com as orações da família Gil Schaeken

  • JOSE EDSON DA SILVA

    Agradecemos a sua existência no meio de nós. Que Deus o acolha na sua infinita misericórdia. Aproveitamos para desejar aos familiares e amigos as nossas condolências. Edson e Lúcia (Casal Presidencial do MFPC e AR).

  • Almir Simões

    Para nós o passamento de Corazza deixa muitas lembranças e saudades mas nos conforta o testemunho cristão que ele deu em toda a sua trajetória de Vida como membro da igreja institucional e depois padre casado, esposo e pai. Eu estudante de teologia em São Paulo e ele já sacerdote, professor e Coordenador da Pastoral Universitária, assim nos conhecemos. Sempre o admirei pelo seu amor e ardor pela causa que abraçou e pela grande liderança que tinha junto à juventude na década de 60 na arquidiocese de São Paulo. No encontro dos Amigos dos Ipiranga, em 2013, na Faculdade onde estudamos, o encontrei totalmente cego mas profundamente lúcido. Foi marcante aquele nosso encontro e me ajudou muito nas minhas reflexões. As suas palavras para mim brotavam como se estivessem saindo não apenas de um psicólogo clinico mas de um homem de fé, sem mágoas, com forte experiência de Deus. No Encontro dos Padres Casados em Brodowski eu não participei mas fiquei sabendo que a sua palestra encantou a todos. Que junto ao Pai Eterno ele interceda por nós.

  • américo ribeiro

    Fico sempre muito impressionado com aqueles colegas que tiveram a coragem de assumir um nova opção e continuaram fiéis ao EVANGELHO DE JESUS.
    Só nós é que sabemos quanta reflexão e sofrimento até amadurecermos a nossa opção por um caminho novo na nossa vida.
    Nós fomos considerados traidores…; acredito que fomos coerentes com nossa consciência.

  • Laércio Jurandyr Bruni

    Caro irmão,
    Obrigado pela notícia, que me proporcionou muitas e boas recordações. Na minha infância, em Salto de Itu, hoje conhecida somente como Salto, vivemos momentos de muita alegria , Corazza e eu.
    Eu morava em Indaiatuba, onde nasci e, um pouco por causa da proximidade das cidades, eu passava férias escolares em Salto, na casa de tios. Brinquei muito na casa do Corazza, porque a casa dos tios era ao lado da casa da família Corazza. As lembranças são muitas. 
    Lecionei na PUC/SP ao mesmo tempo que ele. Depois de deixar a lida sacerdotal, encontrei-me somente uma vez com ele. Trocamos figurinhas sobre  andanças de cada um como sacerdotes e, em seguida, como padres casados. Não o vi mais.

  • Jean Combe (França)

    Merci de ton information.
    Bien que ne le connaissant pas, je prends part à votre douleur comme s’il était quelqu’un de la famille des Prêtres mariés de nos groupes de France.

    Au passage j’ai bien aimé ton humour : “nous avons été promus à l’état laïc, comme Jésus”.
    Je vois avec plaisir que vous gardez le moral !

    Pour ma part, mon espérance est que des changements dans cette église qui la rendraient plus fidèle à la VOIE de Jésus ferait progresser l’ensemble du Monde dans cette perspective d’un Monde plus fraternel et plus solidaire.

    Bonne route.
    Amicalement.
    Je@n
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    Obrigado pela tua informação.
    Embora não o tenha conhecido, eu compartilho a vossa dor como se se tratasse de alguém da família dos padres casados dos nossos grupos em França.

    Aliás eu gosto de seu humor: “fomos promovido ao estado laical, como Jesus.”
    Fico feliz que você mantenha o moral!

    Pessoalmente, a minha esperança é que as alterações nesta igreja que a tornariam mais fiel ao Caminho de Jesus faria progredir o resto do mundo o mundo inteiro nesta perspectiva de um mundo mais fraterno e solidário.

    Boa caminhada
    Atenciosamente
    Je@n

  • Hilario Cristofolini

    QUERIDO JOÃO, PADRE E IRMÃO.

    LEIO SEMPRE E COM MUITO PROVEITO SEUS TRABALHOS E DIVULGAÇÕES EM NOSSO JORNAL E NO SITE.

    VEJO AQUI O PADRE DARCY CORAZZA. NOTA DEZ COM LOUVOR PELA SUA OBRA.

    COMOVEU-ME TAMBÉM O QUE DELE ESCREVEU O SAUDOSO PADRE MÁRIO PALUMBO..

    A PROPÓSITO, PADRE JOÃO, PODERIA FORNECER-ME O @ DESTE MEU ANTIGO COLEGA DE SEMINÁRIO E ORDENAÇÃO?

    MUITÍSSIMO GRATO

    HILÁRIO

    R/ Hilário,
    os e-mails de nosso irmão e amigo Mario Palumbo são: mariopalumbo@terra.com.br e oraetlabora@oraetlabora.com.br
    João Tavares

  • Orlando Testi

    Para os Familiares do prezado e querido Colega Darcy,
    os nossos mais sinceros pêsames. Orlando Testi -Cesena -Italia.

  • Gilberto Frangetto

    Prezados, ,
    Só hoje consegui ter noticias (infelizmente não desejadas) do saudoso padre Corazza.
    Estive procurando notícias, por anos, desse saudoso padre, ao qual “devo” a celebração de meu casamento.
    Que suas convicções, que ardorosamente procurava transmitir, sejam presentes, após o fim de sua vida humana.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>