“Recusar lidar com a complexidade na Igreja é uma forma de heresia”, declara o cardeal Joseph Tobin

Michael J. O’Loughlin – 14 Janeiro 2022

Foto: O cardeal Joseph W. Tobin, de Newark, NJ, participa da oração de abertura durante a assembleia geral de outono da Conferência dos Bispos Católicos dos EUA em Baltimore, nesta foto de arquivo de 1211.18. (Foto CNS/Bob Roller)

 Os críticos que se omitem de participar dos atuais esforços do Vaticano para consultar todo o mundo, parte dos esforços do papa para revigorar a vida eclesial, falham em entender como Francisco está tentando remodelar a Igreja, disse um dos cardeais conselheiros em discurso na terça-feira, 11-01-2022.

A reportagem é de Michael J. O’Loughlin, publicada por America, 12-01-2022. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

 

“Sinodalidade é uma forma de ser Igreja, baseada na ideia, no ideal, que todos os batizados estão caminhando juntos com uma atenção compartilhada ao Espírito Santo”,

disse o cardeal Joseph Tobin, arcebispo de Newark, em uma mensagem à Cathedral Ministry Conference, que está ocorrendo em Chicago.

Nos últimos dias, alguns críticos do sínodo, que está recebendo pouquíssima atenção nos Estados Unidos, reclamaram nas redes sociais que algumas palavras-chave associadas ao processo sinodal compartilhadas em tuíte da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos – USCCB pareciam corporativistas ou jargões.

Alguns críticos do próximo sínodo  reclamaram nas mídias sociais que algumas palavras-chave associadas ao processo de planejamento do sínodo pareciam muito corporativas ou jargões. ♣

 

Pelo menos um bispo pensou sobre o assunto, postando na sua conta do twitter:

  • “se o processo sinodal é para ter frutos, deve focar na pessoa de Jesus Cristo, nos valores do Evangelho e na visão espiritual;
  • e eliminar estruturas complexas, instruções incompreensíveis e linguagem corporativa e secular”.

Sem abordar diretamente essa controvérsia online,

  • cardeal Tobin disse que é comum que certos temas surjam
  • durante os períodos de preparação que antecedem uma reunião do Sínodo dos Bispos.

Antes do Sínodo de 2012, convocado pelo Papa Bento XVI para discutir a evangelização, o cardeal disse que percebeu que o “discernimento” era um tema-chave, usado duas dúzias de vezes no documento preparatório.

“Pensei quão interessante que, neste nível da Igreja,

  • as pessoas estão reconhecendo que não há soluções adequadas para os desafios que a Igreja enfrenta hoje”, disse o cardeal Tobin,
  • “e que o sínodo não está lá simplesmente para carimbar algo, mas [perguntar], o que Deus está dizendo às Igrejas hoje?”.

Sínodo dos Bispos de 2023 será dedicado à ideia da sinodalidade, que as dioceses começaram a preparar no ano passado.

cardeal Tobin, que atua na Congregação para os Bispos do Vaticano, disse que o Papa Francisco continua buscando respostas para a questão da sinodalidade e que enfatizou temas semelhantes.

  • “Quanto mais e mais longe viajamos juntos, quanto mais nos encontramos, tudo fica mais claro”, disse ele.
  • “Agora, acompanhados por Francisco, são as mesmas palavras: misericórdia, alegria, discernimento, diálogo.
  • E de todos elas, a mais incompreendida, na minha experiência, é a sinodalidade”.

Em sua palestra, o cardeal Tobin relembrou um encontro em 1960 entre o historiador judeu francês Jules Isaac e o Papa João XXIII.

O Cardeal Tobin disse que ouvir profundamente como parte do processo sinodal é “essencial para nosso crescimento compartilhado no corpo de Cristo”. 

  • Isaac cobrou que o papa considerasse como a Igreja contribuiu para as atitudes antissemitas na Europa e seu papel na criação de condições que levaram ao Holocausto.
  • Essa conversa ajudou a levar à promulgação da “Nostra Aetate e ao início de um período de reconciliação entre a Igreja e o povo judeu.

“O que o Papa João foi capaz de fazer só foi possível porque ele ouviu”, disse o cardeal Tobin.

  • “Ele ouviu uma voz que não teria ouvido em todo o Vaticano ou provavelmente em qualquer Igreja Católica na época.
  • Ele ouviu alguém que havia sido profundamente ferido”.

cardeal Tobin disse que ouvir profundamente como parte do processo sinodal

é “essencial para nosso crescimento compartilhado no corpo de Cristo”.

Essa postura é

“o que o Papa Francisco vê claramente e defende abertamente como é o modelo que a Igreja que o Senhor espera de nós neste milênio”.

Ele

Ele citou o alcance de sua própria diocese para

  • jovens,
  • indivíduos em presídios
  • e católicos LGBTQIA+ –

um gesto, disse ele, “que nos custou muito”.

“Mas é um custo que devemos pagar e que traz enormes benefícios”,disse ele.

 

♣  Os católicos desconfortáveis ​​com um modelo sinodal de igreja, disse ele, podem se sentir desconfortáveis ​​com a confusão que o diálogo frequentemente desenterra.  Mas, disse ele, recusar-se a viver com tensão pode ser uma forma de heresia

 

Os católicos desconfortáveis com um modelo sinodal de Igreja, disse ele,

  • podem se sentir desconfortáveis com a confusão que o diálogo frequentemente desenterra.
  • Mas, disse ele, recusar-se a viver com tensão pode ser uma forma de heresia.

“Minha definição favorita de heresia é a recusa em lidar com a complexidade”, disse ele.

  • “Se você olhar para as heresias da Igreja, as grandes heresias,
  • eles não podiam aceitar uma coisa ou outra,
  • e eles não queriam viver com a tensão.

Há uma tensão essencial e uma tensão necessária em grande parte de nossa vida”.

“Se você destruir essa tensão”, continuou ele, “então a Igreja, os sacramentos, a Palavra de Deus se tornam outra coisa. Não é mais a Palavra de Deus”.

O cardeal disse estar esperançoso que as Igrejas possam abrir suas portas e ouvir profundamente, mas também está ciente que o processo pode não ser fácil.

“Temos um longo caminho a percorrer em codificar em nosso DNA eclesial, essa maneira de ser Igreja”, disse ele.

 

Michael J. O’LoughlinMichael J. O’Loughlin é o correspondente nacional para a  América  e apresentador do podcast da  América  “Plague: Untold Stories of AIDS and the Catholic Church”.

https://www.americamagazine.org/faith/2022/01/12/cardinal-tobin-synodality-242186

 

 

1 comment to “Recusar lidar com a complexidade na Igreja é uma forma de heresia”, declara o cardeal Joseph Tobin

  • Acho, na minha simplicidade, que, antes de tantas preocupações,a Igreja deveria se preocupar com os padres que são os responsáveis diretos para animação e formação das comunidades. E estes se encontram desajustados e sofrendo às vezes de uma solidão imensa no meio de tanta gente. A Igreja fala em caridade, mas não a pratica com seus filhos (os padres). Chegando a 10 suicídios neste ano passado… Pensar também nestes que são os espelhos para os jovens, adultos, crianças e idosos

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>